Marina Silva fala em ‘pool de doadores’ filantrópicos para orçamento ambiental

Segundo ex-ministra, doações diretas para órgãos como o ICMBio e governos estaduais integram as discussões

Ex-ministra do Meio Ambiente e integrante do GT temático do governo de transição, Marina Silva afirmou nesta quarta-feira (30/11) que tem conversado com organizações internacionais dispostas a financiar o combate ao desmatamento no Brasil. Eles formariam um “pool de instituições filantrópicas” doadoras.

Segundo Marina, doações diretas para órgãos como o ICMBio e governos estaduais integram as discussões. A ideia, disse, é “suprir o rombo orçamentário” deixado pelo governo Bolsonaro.

Marina, contudo, afirmou que não haverá “chantagem” para vincular doações a ações contra o desflorestamento, indicando que a prática ocorreu na atual gestão federal. “A cooperação é bem-vinda, mas não é mais na base da chantagem”, afirmou em entrevista coletiva da qual participaram ainda o coordenador dos Grupos Técnicos, Aloizio Mercadante, e os coordenadores do GT de Meio Ambiente, a ex-ministra Izabella Teixeira e o ex-governador Jorge Viana.

Por Nivaldo Souza, repórter de Economia Digital do JOTA