Lula viaja ao Japão para cúpula do G7 e pretende discutir Argentina e Guerra na Ucrânia

Em sua sétima cúpula do G7, presidente brasileiro viaja ao Japão e deve discutir problemas causado pela inflação mundial nos países em desenvolvimento

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) embarcou nesta quarta-feira (17) para Hiroshima, no Japão, para atender à cúpula do G7, grupo das sete maiores potências industriais do mundo. O presidente brasileiro pretende discutir com outros líderes e chefes de Estado a crise na Argentina, a Guerra na Ucrânia, e a crise de países em desenvolvimento causa pela alta inflação global.

Após a chegada ao Japão, Lula tem na agenda um encontro bilateral com o premiê japonês, Fumio Kishida. Em seguida, o chefe do Executivo brasileiro deve se reunir com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e com o presidente da Indonésia, Joko Widodo.

Lula atende a sua sétima reunião do G7

O G7 é um bloco econômico formado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido. Além de serem considerados potências industriais, todos os membros estão entre as dez maiores economias do mundo. Brasil e Índia também configuram no ranking e, por isso, os presidentes brasileiro e indiano são convidados da cúpula.

É a sétima vez em que o presidente brasileiro foi convidado à cúpula — Lula esteve presente nas seis edições do encontro realizadas entre 2003 e 2009, durante seus dois primeiros mandatos.

A China, 2ª maior economia do mundo, não foi convidada para o evento. Representantes do FMI (Fundo Monetário Internacional), Banco Mundial, OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e OMC (Organização Mundial do Comércio) foram convidados.

Lula debaterá inflação mundial e Argentina

De acordo com o Palácio do Planalto, Lula participará de três reuniões temáticas do G7, além dos três encontros bilaterais com outros chefes de Estado previstos. O convite para a participação do presidente foi feito pelo premiê japonês em abril.

Neste ano, a cúpula do G7 deve discutir principalmente sobre os problemas causados pela inflação e o alto endividamento das nações em desenvolvimento. Também está previsto na pauta da cúpula debater sobre ações de combate às mudanças climáticas, fortalecimento do sistema mundial de saúde e a guerra na Ucrânia.

Como adiantou o ministro da Fazenda Fernando Haddad em reunião dos ministros de Finanças do G7, Lula deve trazer ao debate a crise econômica que assola a vizinha Argentina, cujo presidente Alberto Fernández veio buscar auxílio em reuniões com o petista.

Japão é 10º maior parceiro comercial do Brasil

Conforme o Planalto, “outros governos também manifestaram interesse para reuniões com o mandatário brasileiro, a confirmação depende da conciliação de agendas”.

O Japão e o Brasil tem laços comerciais forte do outro lado do Pacífico. O país asiático é o 10º maior parceiro comercial do Brasil o 3º na Ásia, atrás de China e Índia. Em 2022, o comércio entre os dois países foi de US$ 11,9 bilhões, um aumento de 11,4% em relação a 2021.