Juros dos Treasuries desabam e mercado reprecifica ciclo de aperto monetário do Fed

Movimento ocorre após a quebra do SVB e potenciais danos ao sistema financeiro americano

Na esteira das ações do governo americano para tentar conter potenciais danos ao sistema financeiro decorrentes das quebras do Silicon Valley Bank e do Signature Bank, os rendimentos dos Treasuries sofrem um forte tombo no início dos negócios desta segunda-feira. Investidores limpam da curva de juros apostam mais ousadas em um aperto monetário e começam a colocar em discussão a chance de o Federal Reserve (Fed) pausar o ciclo de elevação dos juros nos Estados Unidos.

Por volta de 7h15, o retorno da T-note de dois anos cedia 35,6 pontos-base, para 4,238%; e o yield da T-note de dez anos recuava 15,9 pontos-base, para 3,547%.

O movimento de queda das taxas se dá de forma mais acentuada nos trechos curtos da curva de rendimentos dos Treasuries e se espalha por outras curvas de juros ao redor do globo. No horário acima, o retorno do Bund alemão de dois anos desabava, ao cair 34,1 pontos-base, para 2,746%. Na mínima do dia, o yield curto alemão chegou a recuar a 2,589%, na maior queda diária da história.

“Há um grande movimento dos investidores reavaliando até onde o Fed irá com as notícias, ou seja, há uma configuração fascinante antes dos dados de inflação de amanhã”, apontam os estrategistas macro do Deutsche Bank em relatório enviado a clientes.

No CME Group, os contratos futuros dos Fed funds indicam 41% de chance de manutenção dos juros na atual faixa de 4,5% a 4,75% nos EUA e 59% de probabilidade de um aumento de 0,25 ponto, para o intervalo entre 4,75% e 5%. A chance de um aumento de 0,5 ponto nos juros foi totalmente apagada pelo mercado desde sexta-feira, quando a demanda por segurança levou os rendimentos dos Treasuries de curto prazo à maior queda diária desde a crise financeira de 2008.

Nesse sentido, chamou atenção a mudança no cenário base do Goldman Sachs em relação à política do Fed. Os economistas do banco, agora, esperam que, na próxima semana, o Fed mantenha os juros parados, mas que retome o ciclo de alta em maio, promovendo três aumentos de 0,25 ponto nas taxas, com um ciclo que chegaria ao fim em julho.