Investimentos Diretos no País (IDP) têm pior fevereiro desde 2020

Entrada de recursos estrangeiros no mês ficou abaixo das expectativas do mercado financeiro

A entrada de Investimentos Diretos no País (IDP) somou US$ 5,012 bilhões em fevereiro, informou o Banco Central nesta quinta-feira (4). Em igual mês de 2023, o montante havia sido de US$ 7,168 bilhões.

O desempenho para fevereiro foi o pior desde 2020, quando a entrada desses recursos somou US$ 2,456 bilhões no mês. Em janeiro, o fluxo de IDP ficou positivo em US$ 8,741 bilhões.

O resultado do mês ficou abaixo da mediana das estimativas do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, de entrada de US$ 6,900 bilhões. O intervalo das previsões, todo superavitário, ia de US$ 4,500 bilhões a US$ 9,000 bilhões.

No ano até fevereiro, o fluxo de IDP totalizou US$ 13,754 bilhões. Em 12 meses, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 62,006 bilhões, o que representa 2,80% do Produto Interno Bruto (PIB).

Lucros e dividendos

A rubrica de lucros e dividendos do balanço de pagamentos apresentou saldo negativo de US$ 2,923 bilhões em fevereiro. A saída líquida é superior aos US$ 2,490 bilhões que deixaram o Brasil em igual mês de 2023, já descontadas as entradas.

O BC informou também que as despesas com juros externos somaram US$ 1,369 bilhões em fevereiro ante US$ 2,116 bilhões em igual mês do ano passado.

No acumulado de 2024 até fevereiro, o saldo de lucros e dividendos foi negativo em US$ 5,374 bilhões e o gasto com juros somou US$ 5,256 bilhões.

Conta corrente

O resultado das transações correntes ficou negativo em US$ 4,373 bilhões em fevereiro, informou o BC. Este é o pior desempenho para o mês desde 2021, quando o saldo foi negativo em US$ 4,416 bilhões. Em janeiro, o resultado foi deficitário em US$ 5,068 bilhões.

O número da conta corrente em fevereiro ficou acima da mediana do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que apontava para déficit de US$ 3,300 bilhões. O intervalo, todo deficitário, ia de US$ 4,700 bilhões a US$ 2,100 bilhões.

Pela metodologia do Banco Central, a balança comercial registrou saldo positivo de US$ 3,440 bilhões em fevereiro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,669 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 4,249 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou negativo em US$ 4,289 bilhões.

No ano até fevereiro, a conta corrente teve rombo de US$ 9,472 bilhões. Em 12 meses, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 88,384 bilhões, o que representa 3,58% do Produto Interno Bruto (PIB).

A estimativa do BC é de déficit na conta corrente de US$ 48 bilhões em 2024 (2,1% do PIB), conforme o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de março.

Com informações do Estadão Conteúdo