Em dia decisivo para PEC da Transição, Lira e Haddad se reúnem

Haddad deve atrasar nomeações da futura equipe do Ministério da Fazenda para aprovar PEC de Transição nesta terça

A poucas horas da possível análise da proposta de emenda constitucional (PEC) da Transição pelos deputados, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), estão reunidos na residencial oficial da presidência da Casa.

Em meio aos rumores de que o governo eleito já não considerava a aprovação da PEC uma prioridade em função de uma liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que retira o Bolsa Família do teto de gastos, o futuro chefe da equipe econômica reforçou ontem a defesa pelo avanço do projeto.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), disse que o governo eleito seguiria buscando a aprovação do texto.

Reservadamente, Lira reconheceu ter sido pego de surpresa com a liminar de Gilmar, mas destacou que a aprovação da PEC é importante para o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) porque seria mais abrangente e não ficaria limitada à liberação do crédito extraordinário para o pagamento de um Auxílio Brasil, que passará a ser o Bolsa Família em 2023, de R$ 600.

A sessão da Câmara desta terça-feira tem a PEC da Transição como única pauta do dia e já começou. A expectativa de aliados de Lira é que as discussões sejam feitas ao longo do dia para uma eventual aprovação no início da noite.

Atraso nos anúncios de equipe da Fazenda

Empenhado nas negociações em torno da “PEC da Transição”, Haddad adiará o anúncio dos secretários de sua equipe. Fontes informaram ao Valor que a oficialização dos nomes deverá ficar para quinta-feira.

Estão pendentes as nomeações para o Tesouro Nacional, Receita, Secretaria de Política Econômica (SPE) e Secretaria de Assuntos Internacionais. Haddad afirmou ontem em coletiva que os convites para todos os cargos, com uma exceção, já foram feitos e ele estaria apenas aguardando a confirmação dos nomeados.

“Ainda tem uma posição que eu estou ponderando, mas os demais foram convidados e eu só estou aguardando a data para a confirmação do anúncio”, disse o petista.

Por enquanto, a futura equipe do Ministério da Fazenda tem Gabriel Galípolo como Secretário-Executivo, Bernard Appy como secretário especial da Reforma Tributária, Anelize de Almeida como Procuradora-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e Gustavo Caldas como subprocurador-geral da PGFN.