Dirigente do Fed: cortes prematuros de juros podem reacelerar inflação

Para presidente do Fed de São Francisco, há risco de cortar cedo prematuramente e reacelerar inflação, mas demora excessiva pode criar impacto indesejado na economia

A presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de São Francisco, Mary Daly, reiterou que ainda é cedo para declarar vitória contra a inflação.

“Estamos em um momento muito difícil para calibrar juros. Há o risco de cortar cedo prematuramente e reacelerar inflação, mas se demorarmos demais podemos criar um impacto indesejado na economia, como enfraquecimento do mercado de trabalho”, ponderou, durante sessão de perguntas e respostas da Conferência Nacional Interinstitucional de Reinvestimento Comunitário de 2024.

A dirigente lembrou que o foco do BC norte-americano “sempre foi restaurar a estabilidade de preços o mais suavemente possível”.

Ela demonstrou otimismo com o desempenho da economia, destacando que a atividade e o mercado de trabalho continuam sólidos, enquanto a inflação caiu significativamente nos últimos meses.

Contudo, a inflação ainda segue acima da meta de 2%, o que exige monitoramento do BC, segundo a autoridade. Ela reforçou que as decisões monetárias seguirão dependentes de dados e projeções.

Efeito dos juros sobre custos de moradias

A presidente do Federal Reserve de São Francisco afirmou que os dirigentes continuam comprometidos em retornar a inflação à meta de 2%.

“Sabemos que juros elevados aumentam custos de adquirir ou alugar moradias, mas são ajustes temporários e necessários para controlar os preços”, defendeu.

Mary Daly observou que o aumento nos preços de moradias impulsionou a inflação nos Estados Unidos e, por isso, precisam ser controlados.

Com informações do Estadão Conteúdo