CEO da Caixa diz que juro menor do consignado depende da queda da Selic

O comentário de Maria Rita Serrano vem após o presidente Lula ter criticado as atuais taxas cobradas

A presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Rita Serrano, disse nesta terça-feira que uma queda no juro dos empréstimos concedidos pelo banco estatal depende de um corte na Selic por parte do Banco Central.

“Nossas taxas já são as menores do mercado, reduzir mais só se o Banco Central reduzir a Selic”, disse Maria Rita a jornalistas durante a edição 2023 do Febraban Tech, evento anual de tecnologia do setor bancário.

O comentário da executiva vem após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter afirmado mais cedo estar “indignado” com as atuais taxas cobradas no crédito consignado e que conversará com o ministro da Fazenda, Fernando Hadddad, e com presidentes de bancos para reduzir os juros cobrados na modalidade de empréstimo.

“É muito caro, é um roubo”, disse Lula em seu programa online semanal ‘Conversa com o presidente’, em que voltou também a criticar a política de juros do BC.

O Comitê de Política Monetária do Banco Central manteve na semana passada a Selic em 13,75% ao ano, no maior nível em sete anos, enquanto tentar controlar a inflação.

Atualmente, o teto do empréstimo consignado para beneficiários do INSS é de 1,97% ao mês.