Brasil tem espaço que falta ao mundo para cortar juros, diz Haddad

Ministro comentou sobre caso de insolvência do SVB e comentou que plano econômico depende da harmonia entre políticas fiscal e monetária

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou na manhã desta segunda-feira que, apesar das turbulências internacionais em razão da falência do Silicon Valley Bank (SVB), há espaço no Brasil que permite corte em taxa de juros, principalmente por conta da “robustez” do sistema financeiro brasileiro.

“Essa questão [falência do SVB] vai afetar o mundo inteiro, as pessoas vão olhar um horizonte mais longo para acomodar tensões e impedir uma crise maior que ninguém quer, sobretudo quem quer conviver com taxas de desemprego baixas”, disse Haddad. Ele participou do evento “E agora, Brasil?”, de organização dos jornais Valor e “O Globo”.

“Estamos em um momento de turbulência internacional. Há uma gordura no Brasil que permite a nós, tomando providências que estamos tomando, um espaço [para corte de taxa de juros] que o mundo não tem”, complementou.

As projeções de inflação “continuam comportadas no Brasil”. “A inflação castiga muito, precisamos preservar poder de compra do trabalhador”, declarou Haddad. “Se harmonizarmos políticas fiscal e monetária, conseguimos ancorar e navegar.”