Boletim Focus reforça previsão de taxa Selic a 11,75% no fim de 2023

Relatório mostra que, na avaliação dos agentes financeiros, ritmo de queda dos juros deve ser mesmo de 0,50 ponto percentual

O novo Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (2) pelo Banco Central, aponta uma estabilidade no cenário macroeconômico brasileiro. Afinal, pouco mudou nas previsões dos agentes financeiros, mesmo após as divulgações de informações relevantes na última semana, como o relatório trimestral de inflação e o IPCA-15 de setembro.

Começando pela taxa Selic, as projeções foram mantidas em 11,75%, 9% e 8,50% para 2023, 2024 e 2025, respectivamente. Ou seja, pelo consenso do mercado, o ritmo de queda de juros no atual ciclo deve ser de 0,50 ponto percentual, como já tem reiterado o BC.

No cenário para a inflação, o Boletim Focus mostra que o IPCA-15 deve fechar 2023 em 4,86%. Ou seja, estourando pelo terceira vez seguida a meta estipulada para este ano, que é de 3,25% – com tolerância de 1,5 ponto percentual (4,75%).

Para 2024 e 2025, respectivamente, a previsão oscilou de 3,86% para 3,87%, e foi mantida em 3,50%. A meta de inflação a partir do ano que vem passa a ser de 3%.

A perspectiva de crescimento do PIB do Brasil em 2023, que vinha subindo há cinco semanas, estacionou em 2,92%. O mercado também não mexeu nos prognósticos para 2024 e 2025, que ficaram em 1,50% e 1,90%, respectivamente.

Por fim, no panorama para a cotação do dólar, a expectativa para o fim de 2023 permaneceu em R$ 4,95. Houve uma variação para cima, de R$ 5 para R$ 5,02, na estimativa para 2024. Enquanto a estimativa para a divisa americana lá em 2025 continuou em R$ 5,10.