BNDES anuncia captação de R$ 140 milhões com banco de desenvolvimento alemão

BNDES estima que captação pode destravar quase R$ 1 bilhão para projetos de eficiência energética

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou em comunicado a captação de 25 milhões de euros, cerca de R$ 140 milhões, com o banco de desenvolvimento alemão KfW para o FGEnergia.

O FGEnergia, gerido pelo banco brasileiro, concede garantias para financiamentos a projetos de eficiência energética. O fundo possibilita, ainda, realização de treinamentos, produção de manuais e outras ferramentas que impulsionem projetos de eficiência energética — e também visa contribuir para elevar produtividade das micro, pequenas e médias empresas brasileiras, bem como reduzir as emissões de gases de efeito estufa, por meio de redução do consumo de energia.

Mais R$ 25 milhões ao BNDES para apoio técnico

Além disso, detalhou o banco em informe sobre o tema, a cooperação alemã destinará até 4,5 milhões de euros, aproximadamente R$ 25 milhões, como apoio técnico associado à operação, que também terá a participação da Agência Alemã de Cooperação Internacional (GiZ).

Os anúncios se inserem dentro de uma série de iniciativas anunciadas hoje em encontro entre presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e a ministra da Cooperação Econômica e Desenvolvimento, Svenja Schulze, no escritório do banco, em Brasília (DF).

Garantia libera quase R$ 1 bi em investimentos

Cálculos do BNDES apontam que, como esses R$ 140 milhões serão usados como garantias, poderão alavancar cerca de R$ 870 milhões para projetos de eficiência energética de diferentes setores da economia.

Segundo detalhamento da instituição de fomento, os recursos destinados à cooperação técnica poderão ser aplicados em atividades como realização de eventos, edição de publicações e outras ações que ajudem a promover a ampliação da eficiência energética no Brasil. Na prática, esses recursos viabilizarão o aumento da produtividade nacional, sobretudo de pequenas e médias empresas, e a redução das emissões de gases de efeito estufa, informou ainda o banco brasileiro.

Transição energética

A instituição de fomento brasileira informou também que KfW, BNDES e GiZ ratificaram compromisso para trabalharem conjuntamente para desenvolvimento de propostas para apoiar transição energética justa, com ênfase não só na desigualdade social mas também na desigualdade de gênero e raça.

O BNDES detalhou ainda, no informe, que no encontro entre o presidente Aloizio Mercadante e a ministra Svenja Schulze hoje, as entidades avaliaram oportunidades de ampliar a cooperação financeira alemã para investimentos em setores estratégicos para o relacionamento entre os países. Além da área de eficiência energética, outros citados foram mobilidade urbana, restauração/recuperação florestal, hidrogênio verde, eletromobilidade e desenvolvimento de motores híbridos, biocombustíveis e reindustrialização.

Além da cooperação financeira, BNDES e KfW também vão firmar cooperação técnica para estudar boas práticas de captação e regulação para modernização de bancos de desenvolvimento sustentáveis, informou ainda o banco brasileiro de fomento.

O encontro entre a ministra alemã e o presidente do BNDES tratou de várias ideias de projetos para alocar doação de R$ 362 milhões da Alemanha para o Brasil em parcerias que envolvem o banco de fomento, detalhou a instituição brasileira.

Alemanha anuncia pacote de R$ 1,1 bi para o Brasil

A Alemanha oficializou hoje que vai auxiliar o Brasil com “pacote de medidas”, de R$ 1,1 bilhão, para políticas de desenvolvimento sustentável, combate ao desmatamento e inclusão social. Desse total, R$ 192 milhões serão destinados especificamente ao chamado Fundo Amazônia, criado em 2008 e cuja gestão é do BNDES. O fundo visa captar doações para investimentos não reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e de promoção da conservação e do uso sustentável da Amazônia Legal.

No comunicado veiculado essa tarde sobre encontro do presidente do BNDES e a ministra alemã, o banco brasileiro lembrou que o fundo aprovou primeiros projetos em 2009 e captou desde criação total de US$ 1,3 bilhão. Atualmente, conta com carteira de 102 projetos, com valor total de apoio de R$ 1,8 bilhão, dos quais R$ 1,5 bilhão já desembolsados.

Segundo o BNDES, a Alemanha, por meio do KfW é a segunda maior doadora de recursos do Fundo Amazônia, tendo aportado anteriormente 54,9 milhões de euros. A recém-anunciada captação é a terceira doação do banco alemão, informou a instituição de fomento brasileira, que totalizará o apoio de cerca de 90 milhões de euros ao fundo.