BC aprova 14 instituições para testar real digital

Um dos objetivos do BC com a implementação do real digital é reduzir os custos nas transações financeiras

O Banco Central anunciou uma lista de 14 instituições financeiras que vão participar do Piloto RD, uma fase inicial do real digital, a versão eletrônica da moeda brasileira que pode entrar em circulação em 2024.

São elas: Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Nubank, Banco BV e BTG, além dos seguintes consórcios:

  • Banco Inter, Microsoft e 7Comm;
  • Santander, Santander Asset Management, F1RST e Toro;
  • Basa, TecBan, Pinbank, Dinamo, Cresol, Banco Arbi, Ntokens, Clear Sale, Foxbit, CPqD, AWS e Parfin
  • SFCoop: Ailos, Cresol, Sicoob, Sicredi e Unicred;
  • XP e Visa;
  • Banco ABC, Hamsa e LoopiPay;
  • Banco B3, B3 e B3 Digitas;
  • ABBC: bancos Brasileiro de Crédito, Ribeirão Preto, Original, ABC, BS2 e Seguro; ABBC, BBChain, Microsoft e BIP.

Em nota em seu website, o BC afirmou que esta fase do projeto incluirá testes para medir a privacidade, programabilidade dos serviços e interoperabilidade.

A autoridade monetária afirmou ter recebido 36 propostas de interesse na participação no Piloto RD, dentro de um universo de mais de 100 instituições financeiras.

Diferente de criptomoedas como bitcoin e ethereum, o real digital é uma CBDC, sigla para moedas eletrônicas emitidas por bancos centrais e, como tais, têm o mesmo sistema de lastro das moedas físicas.

Um dos objetivos do BC com a implementação do real digital é reduzir os custos de intermediação nas transações financeiras.