Ata do Copom detalha caminho que pode permitir corte da Selic

Colegiado citou decisões que induzam à reancoragem das expectativas e que elevem a confiança nas metas de inflação
Pontos-chave:
  • Cenários para retomada do ciclo de aperto monetário se tornaram menos prováveis
  • Manutenção da taxa básica de juros por período prolongado será capaz de assegurar a convergência da inflação
  • Ancoragem de expectativas é um elemento essencial para a estabilidade de preços

Na reunião do começo de maio, em que a Selic foi mantida em 13,75% ao ano pela sexta vez seguida, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) praticamente fechou a porta para a possibilidade de um novo aperto monetário.

O colegiado sinalizou, conforme a ata do encontro divulgada nesta terça-feira (9), que a taxa básica de juros deve permanecer no atual patamar até que a inflação volte à meta. Mas, durante a discussão, os integrantes mostraram o caminho que pode favorecer o início de um ciclo de cortes.

“O Comitê reforça que decisões que induzam à reancoragem das expectativas e que elevem a confiança nas metas de inflação contribuiriam para um processo desinflacionário mais célere e menos custoso”, aponta a ata.

O documento destaca que as expectativas de inflação seguem desancoradas das metas definidas pelo Conselho Monetário Nacional, de 3,25% para 2023 e de 3% para 2024, “tendo havido uma pequena deterioração na margem”.

“O Comitê acompanha este movimento com preocupação e segue avaliando que expectativas desancoradas elevam o custo de trazer a inflação de volta à meta”, afirma.

O Copom considera que o comportamento das expectativas é um aspecto fundamental do processo inflacionário, uma vez que serve de guia para a definição de reajustes de preços e salários presentes e futuros.

“Assim, com o aumento de expectativas, há uma maior elevação de preços no período corrente e o processo inflacionário é alimentado por essas expectativas. Também foi ressaltado na reunião que a ancoragem de expectativas é um elemento essencial para a estabilidade de preços”, reitera o texto.

Os integrantes discutiram também os impactos do cenário fiscal sobre a inflação e avaliaram que a apresentação do arcabouço fiscal “reduziu a incerteza associada a cenários extremos de crescimento da dívida pública”.

“O Comitê seguirá acompanhando a tramitação e a implementação do arcabouço fiscal apresentado pelo governo e em apreciação no Congresso. O Copom novamente enfatizou que não há relação mecânica entre a convergência de inflação e a aprovação do arcabouço fiscal, uma vez que a trajetória de inflação segue condicional à reação das expectativas de inflação e das condições financeiras”, diz a ata.

“A materialização de um cenário com um arcabouço fiscal sólido e crível pode levar a um processo desinflacionário mais benigno através de seu efeito no canal de expectativas, ao reduzir as expectativas de inflação, a incerteza na economia, o prêmio de risco associado aos ativos domésticos e, consequentemente, as projeções do Comitê”, acrescenta.

O Copom enfatizou ainda que a execução da política monetária, neste momento, “requer serenidade e paciência para incorporar as defasagens inerentes ao controle da inflação através da taxa de juros e, assim, atingir os objetivos no horizonte relevante de política monetária”.

“Nesse sentido, o Comitê avaliou que os cenários que poderiam requerer a retomada do ciclo de aperto monetário se tornaram menos prováveis”, afirma a ata.

No trecho final, ao explicar a decisão pela manutenção da Selic, a ata aponta que o colegiado entende que “essa decisão é compatível com a estratégia de convergência da inflação para o redor da meta ao longo do horizonte relevante, que inclui o ano de 2024”.

“Considerando a incerteza ao redor de seus cenários, o Comitê segue vigilante, avaliando se a estratégia de manutenção da taxa básica de juros por período prolongado será capaz de assegurar a convergência da inflação. O Comitê reforça que irá perseverar até que se consolide não apenas o processo de desinflação como também a ancoragem das expectativas em torno de suas metas”, finaliza o documento.