Mercado hoje: Ibovespa fecha em queda e está próximo de romper suporte de 100 mil pontos após Fed e falas de Powell; dólar recua

Na Super Quarta, mercado agora aguarda o Copom

Passada a euforia após a decisão do Fed (Federal Reserve, o banco central americano) e das falas do presidente da entidade, Jerome Powell, o Ibovespa devolveu os ganhos e voltou para o terreno negativo, bem próximo de romper o suporte de 100 mil pontos.

O principal índice da bolsa brasileira fechou em queda de 0,77%, a 100.221 pontos, enquanto o dólar reduziu as perdas e encerrou as negociações em queda de 0,18%, a R$ 5,2359.

O mesmo ocorreu com as bolsas americanas, que apresentaram uma reação positiva após o discurso de Powell, mas logo voltaram para o negativo. Dow Jones caiu 1,63%, S&P500 recuou 1,65% e o Nasdaq perdeu 1,60% hoje.

As taxas de juros futuros de médio e longo prazo fecharam em queda.

A decisão do Copom, também importante, sairá somente após às 18h, depois do fechamento das negociações na B3.

Jerome Powell

O presidente do banco central americano, Jerome Powell, reforçou que a instituição busca uma inflação de 2% ao ano e colocou inflação e aquecimento do mercado de trabalho como principais impeditivos.

Powell reiterou que “o sistema bancário tem liquidez e está seguro”.

Além disso, falou que novas altas serão analisadas a partir dos dados macroeconômicos, e que a inflação e os ganhos salariais estão dando sinais de desaceleração.

Fed

Fed anunciou há pouco o aumento da taxa de juros de 0,25 ponto percentual, em linha com a expectativa predominante do mercado. A taxa anual passa a ser de 4,75% a 5%.

Segundo dados do CME Group, o novo patamar de juros foi estimado por 90% dos analistas antes da decisão do Fed. Os analistas consideraram principalmente os dados de inflação (CPI) e do mercado de trabalho (payroll).

Utilizadas como referência para a operação dos juros, os indicadores de inflação e vagas de emprego nos EUA apontaram para uma dificuldade de o Fed iniciar uma queda nos juros nesta reunião, o que acabou se confirmando.

Copom

No Brasil, o pregão também deve ser dominado pela expectativa da decisão de juros, que sai após o fechamento dos mercados. A expectativa de manutenção da taxa Selic em 13,75% ao ano é quase unânime, mas agentes observarão o comunicado em busca de possíveis sinais sobre quando terá início o ciclo de afrouxamento monetário.

Leia a seguir

Leia a seguir

Política

A notícia de que a nova âncora não será divulgada nesta semana pesou sobre os ativos brasileiros ontem e deve continuar no radar hoje. Além disso, investidores analisam os nomes cotados para a diretoria do BC.

De acordo com a mídia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aprovou os nomes de Rodolfo Fróes para a diretoria de Política Monetária e de Rodrigo Monteiro para a de Fiscalização. Os nomes teriam sido indicados pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Commodities

Entre as commodities, o minério de ferro teve mais um dia de perdas firmes na bolsa de Dalian. Desta vez, a queda foi de 2,15%, aos 865,5 yuans (cerca de US$ 125,50) a tonelada.

O petróleo Brent – utilizado como referência pela Petrobras – fechou em que alta de 1,80% em Londres, a US$ 76,38 por barril.