Ibovespa fecha em queda, na contramão de Nova York; dólar perde força, mas sustenta alta

Ibovespa cai e dólar sobe em dia marcado por desconfiança do investidor relacionado aos balanços corporativos

O Ibovespa fechou em queda nesta segunda-feira (7), enquanto o dólar emplaca nova alta. O mercado aguarda o balanço do Itaú, que será divulgado esta noite, e repercute bem os resultados de BB Seguridade, que ficou entre as maiores altas do principal índice da bolsa.

Dessa maneira, o Ibovespa fecha em queda de 0,11%, a 119.379 pontos, depois de ter batido mais 120 mil pontos de máxima.

“Vale e Petrobras, com peso grande no índice, contribuíram para dar uma segurada no Ibovespa hoje, em um começo de semana agitada, com muitos indicadores para sair”, diz Rodrigo Moliterno, head de renda variável da Veedha Investimentos.

Ao mesmo tempo, o IFNC, índice que mede o desempenho das ações do setor financeiro, foi o que menos sentiu o mau humor do mercado, ainda assim fechou em queda de 0,16%. As perdas dos bancos e seguradoras foram atenuadas pelo desempenho do BB Seguridade (BBSE3). Há ainda expectativa com os números do Itaú (ITUB4) na temporada de balanços referente ao segundo trimestre.

BB Seguridade (BBSE3) e Itaú (ITUB4) divulgam resultados

Nesta segunda, a lista de empresas que divulgam seus balanços tem BB seguridade (BBSE3), que apresentou crescimento de 30,9% no lucro no segundo trimestre, a R$ 1,8 bilhão. Com isso, as ações da seguradora avançaram 2,38%.  

Além disso, serão apresentados, depois do fechamento do mercado, os números do Itaú (ITUB4). O mercado aguarda o balanço do banco depois da decepção, na semana passada, com o Bradesco (BBDC4), que divulgou queda de 36% no lucro no segundo trimestre.

As ações do Bradesco caíram 0,71%, enquanto as do Itaú perderam 0,79%.

Ainda em relação aos balanços, o mercado repercute os números da Petrobras (PETR3; PETR4). A companhia amargou queda de 47% no segundo trimestre de 2023 diante da queda do preço do petróleo. Ainda assim, a petroleira apresentou ganhos de R$ 28,7 bilhões no período. Os papéis subiram 0,67% (PETR3) e 0,63% (PETR4).

Destaque também para os papeis do Assai (ASAI3: +1,31%), “que sobem no dia após o Bank of America elevar a recomendação de ações da empresa de “neutro” para “compra” e aumentar o preço-alvo para R$ 20″, destaca Fabio Louzada, economista, analista CNPI e fundador da Eu me banco.

Dólar

Simultaneamente, o dólar avançou 0,40%, a R$ 4,8946. O câmbio chegou a estar menos favorável para o real no início do pregão, quando o dólar passou dos R$ 4,90.

As negociações de divisas também favoreceram a moeda norte-americana no cenário global. O DXY, indicador global do dólar, subiu 0,03%, a 102,04 pontos.

Melhores ações da bolsa

Entre todas as ações da bolsa que movimentaram mais de R$ 1 milhão neste pregão, destaque para a BR Properties (BRPR3), que avançou 5,35%. Já na ponta inferior, a empresa que teve as maiores perdas no dia foi a Recrusul (RCSL3; RCSL4). As ações preferenciais e ordinárias caíram quase 28% e 16%, respectivamente.

O desempenho dos papéis foi avaliado às 17h25, podendo sofrer alterações.

Confira a lista das melhores do dia

  • BR Properties (BRPR3) +5,35%
  • Banco Pine (PINE4) +4,03%
  • Irani (RANI3) +4,00%
  • Kora Saúde (KRSA3) +3,82%
  • Banco Pan (BPAN4) +3,37%

Veja as piores ações do dia

  • Recrusul (RCSL4) -27,68%
  • Recrusul (RCSL3) -15,69%
  • Mobly (MBLY3) -9,30%
  • Méliuz (CASH3) -6,95%
  • Enjoei (ENJU3) -5,49%

Bolsas de Nova York

Nesta segunda, as bolsas de Nova York encerraram o pregão em alta por conta das perspectivas macroeconômicas e balanços empresariais. Dow Jones fechou em alta de 1,16%. O S&P 500 avançou 0,90%. O Nasdaq fechou em alta de 0,61%.

Os investidores aguardam os indicadores de consumo e preços ao produtor, que serão divulgados nesta semana. Assim, a expectativa é de que apresentem desaceleração, acompanhando o ritmo do payroll, divulgado na semana passada, e que indicou uma criação mais modesta de postos de trabalho. Isso indica uma desaceleração da economia americana e consequentes reduções da pressão inflacionária e necessidade de subir juros.

Além dos indicadores, o mercado aguarda pelo balanço de empresas com ações na bolsa de Nova York. A atual temporada de balanços tem apresentado resultados melhores que o esperado. Um levantamento do FacSet, divulgado pela CNBC, apontou que 84% das empresas do S&P 500 tiveram balanços mais robustos do que as projeções apontavam.

Europa

As bolsas europeias fecharam mistas nessa segunda-feira, com a maioria delas em queda. Dados do setor industrial alemão apontaram que a maior economia do continente está em uma contração mais forte do que o projetado pelo mercado. Para a Capital Economics, o dado indica que o país tem grande chance de registrar contração pelo resto de 2023.

Em Londres, o FTSE 100, caiu 0,13% a 7.554 pontos, enquanto o índice DAX, em Frankfurt, fechou recuando 0,01%, a 15.950 pontos.

O CAC 40, em Paris, avançou 0,06%, a 7.3198 pontos, e o FTSE MIB, em Milão, fechou em queda 0,14%, a 28547 pontos.

Já em Madri, o índice Ibex 35 caiu 0,10%, a 9.358 pontos.

Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 avançou 0,27%, a 6.040 pontos.

Com informações do Estadão Prime e da Dow Jones Newswires