Mercado hoje: Ibovespa fecha em queda leve pressionado pelas ações da Petrobras

Sem sinalizações pró-mercado de Jean Paul Prates, papéis da estatal são contaminados por perspectivas negativas

Na medida em que o mercado local permanece sem gatilhos macro de curto prazo, o Ibovespa se equilibrou nesta quinta-feira entre as altas dos papéis ligados às commodities metálicas e o recuo das ações da Petrobras (ON caiu 2,79%; PN recuou 2,75%), fechando a sessão com perdas mínimas. A sessão foi marcada pela aprovação de Jean Paul Prates como conselheiro e presidente da companhia.

Após ajustes, o referencial local registrou queda de 0,08%, aos 114.178 pontos. Na mínima intradiária, o índice à vista tocou os 113.591 pontos, e, na máxima, os 114.835 pontos. Em Nova York, o S&P 500 subiu 1,10%, aos 4.060 pontos, Dow Jones fechou em alta de 0,61%, aos 33.949 pontos e Nasdaq oscilou positivamente em 1,76%, aos 11.512 pontos.

Dólar cai 0,08% e fecha a R$ 5,07

O dólar fechou em leve queda nesta quinta-feira, em movimento que destoou do exterior. No pregão, os investidores repercutiram a divulgação do PIB dos EUA referente ao 4º trimestre de 2022, que veio acima das expectativas, a fim de avaliar a possibilidade de uma recessão no país e quais serão os próximos passos do Federal Reserve, banco central americano.

Nos últimos dias, o real apresentou forte apreciação em meio a redução de ruídos internos e a entrada de fluxo estrangeiro.

O dólar caiu 0,08%, negociado a R$ 5,0745 após atingir a máxima de R$ 5,1179.

Papéis da Petrobras caem após nomeação de novo presidente

Os papéis da Petrobras fecharam com quedas nesta quinta-feira, após o Conselho de Administração da empresa aprovar Jean Paul Prates como novo conselheiro e presidente da estatal.

Petrobras ON caiu 2,79%, negociada a R$ 29,57 e Petrobras PN cedeu 2,75%, cotada a R$ 26,20.

Apesar de já esperada pelo mercado, a indicação ainda gera receios sobre o futuro da gestão da empresa no novo governo.

Diante da falta de sinalizações pró-mercado de Prates, as perspectivas negativas tomam contam e contaminam as ações da estatal na B3. Os papéis preferenciais recuavam 3,08%, enquanto os ordinários perdiam 3,22%.

Os agentes avaliam também os dados da primeira leitura do PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos no quarto trimestre de 2022. A atividade econômica do país cresceu 2,9% no período e superou o consenso do mercado, de alta de 2,6%.

Em relatório, o analista Andrew Hunter, da Capital Economics, destacou que o aumento veio um pouco mais forte do que o esperado, mas o mix de crescimento foi desanimador . “Os dados mensais sugerem que a economia perdeu força ao longo do quarto trimestre”, anotou. “Ainda esperamos que o impacto defasado do aumento das taxas de juros leve a economia a uma leve recessão no primeiro semestre deste ano”, ressaltou.

Commodities metálicas e bancos

Além disso, entre os setores com mais peso no Ibovespa, o de commodities metálicas registrava nova valorização, pegando carona na reabertura da economia da China. Subiam Vale (+1,22%), CSN (+3,46%), Usiminas (+3,02%) e Gerdau (+1,98%).

Já os bancos, que têm sido pressionados pela crise da Americanas, tinham desempenhos perto da estabilidade: Itaú (-0,55%), Bradesco (+0,64%) e Santander (+0,52%), Banco do Brasil (+0,37%) e BTG Pactual (+0,32%).