Mercado hoje: Ibovespa fecha em queda com pressão de bancos, mas tem semana positiva

As declarações do presidente Lula sobre a autonomia do Banco Central seguiram no radar dos investidores, com medo de haver interferência política na autarquia

O Ibovespa fechou em queda de 0,78%, aos 112,1 mil pontos, pressionado pelas ações dos bancos, que sofrem com as incertezas diante do futuro da Americanas, em recuperação judicial, com dívidas de R$ 43 bilhões e tendo as instituições financeiras como maiores credores.

A semana, no entanto, teve saldo positivo para o índice, que avançou 1,17% diante da abertura na segunda-feira. O período, bastante conturbado por sinal, foi sustentado pela alta nas ações das empresas ligadas às commodities, que tiveram forte valorização no período, diante da volta da confiança na economia da China.

Nesta sexta, no entanto, não foi suficiente para deixar o índice no positivo. Entre as commodities, o minério de ferro voltou a avançar na bolsa de Dalian, fechando em alta de 1,76%, 865 yuans (cerca de US$ 127,50) a tonelada. O petróleo Brent fechou em leve alta na ICE, de Londres.

A baixa mais forte do Ibovespa foi do papel AMER3, em queda de mais 34%, a R$ 0,66, no pregão de sua despedida do índice. Como previsto, a ação da varejista virou penny stock, e os próximos passos serão acompanhar a recuperação judicial, o destino dos 44 mil funcionários e dos mais de 16,3 mil fornecedores.

No lado positivo, também no varejo, destaque para a empresa de moda C&A (CEAB3), que subiu 22% com altíssimo volume de negociação, diante dos rumores de uma negociação de compra da companhia pela Renner.

Dólar sobe e volta aos R$ 5,20

Seguindo a máxima ‘bolsa cai, dólar sobe’, a moeda americana fechou em alta de 0,60%, negociada a vista a R$ 5,20, olhando para o exterior mais cauteloso.

O diretor do Fed, Christopher Waller afirmou hoje que o banco central americano tem uma visão menos otimista a respeito da queda na inflação americana. Segundo ele, os preços cairão lentamente, dando pistas sobre a manutenção da política monetária contracionista do Fed.

As declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a respeito do Banco Central continuaram no radar, assim como declarações de integrantes dos principais bancos centrais no mundo.

Davos

O Fórum Econômico Mundial se encerrou nesta sexta-feira com uma participação positiva do Brasil. Nada de muito impactante foi apresentado, mas o país pode apresentar ao mundo suas propostas de conciliar crescimento econômico com sustentabilidade ambiental. A presença de Fernando Haddad e Marina Silva foi simbólica para reforçar essa imagem que o país deseja passar.

Mercado na próxima semana

Os cinco dias de feriado em celebração ao Ano Novo Chinês vai tirar o foco do país na próxima semana, o que pode, de certa forma, diminuir o volume de negociações de commodities, especialmente as metálicas.

Aqui no Brasil, haverá feriado na quarta-feira em comemoração ao aniversário da cidade de São Paulo. Apesar disso, a B3 funcionará, mas é provável que o volume de negociações seja menor. Na quinta-feira terá início a temporada de balanços do quarto trimestre de 2022, com os dados financeiros da Cielo, importantes também para se entender a situação do varejo.