Petrobras (PETR3; PETR4): AGO aprova R$ 222,5 bi em dividendos de 2022

Desse montante, R$ 35,8 bi são dividendos complementares referentes ao 4º trimestre do ano passado

A Petrobras (PETR3; PETR4) confirmou, em comunicado, que a assembleia geral ordinária (AGO) aprovou a remuneração aos acionistas relativa ao exercício social de 2022 no valor de R$ 17,06 por ação (ordinária ou preferencial) em circulação. O montante corresponde a R$ 222,5 bilhões.

O valor inclui os pagamentos efetuados ao longo de 2022 e o dividendo complementar a ser pago a partir do dia 19 de maio de 2023. O dividendo complementar equivale a R$ 2,74 por ação em circulação, totalizando cerca de R$ 35,8 bilhões.

O valor total bruto a ser distribuído aos acionistas, considerando a atualização monetária até hoje, é equivalente a R$ 2,85 por ação. O montante considera a atualização monetária pela taxa Selic de 31 de dezembro de 2022 até hoje, o que corresponde a acréscimo de R$ 0,11 por ação.

O pagamento do dividendo complementar será feito em três parcelas. A primeira delas em 19 de maio, no valor de R$ 1,42 por ação, para os acionistas da B3. A partir de 26 de maio, será pago para os detentores de recibos de ações (ADRs) negociados na Bolsa de Nova York (Nyse).

A segunda parcela será paga em 16 de junho, no valor de R$ 0,91 por ação, para os detentores de ações no Brasil, e a partir de 23 de junho para aqueles que detêm recibos de ações em Nova York. Em 27 de dezembro, será paga a terceira e última parcela, no valor de R$ 0,51 por ação negociada na B3, e, a partir de 4 de janeiro de 2024, para os detentores de ADRs na Nyse.

Os valores das três parcelas continuarão a ser atualizados pela variação da taxa Selic até a data dos efetivos pagamentos. A data de corte para os detentores de ações de emissão da Petrobras negociadas na B3 será hoje e a “record date” para os detentores de ADRs será 1º de maio. As ações e os ADRs serão negociados ex-direitos a partir de amanhã, dia 28 de abril.

Leia a seguir

Leia a seguir