CNI manifesta apoio ‘irrestrito e incondicional’ a Josué Gomes da Silva na presidência da Fiesp

CNI considera Josué 'estratégico' para agenda de reindustrialização no Brasil

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou carta nesta segunda-feira (23) manifestando apoio “irrestrito e incondicional” à permanência do empresário Josué Gomes da Silva na presidência da Federação das indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Josué vive um embate com dirigentes de sindicatos que integram a entidade, que votaram pela destituição do empresário do cargo durante assembleia realizada no dia 16 de janeiro.

Josué ‘tem papel estratégico’, diz CNI

“Como já manifestado em posicionamentos anteriores, a CNI respeita o estado democrático de direito, e os processos legais de escolhas de presidentes e de líderes para cumprir, pelo voto, a vontade da maioria”, diz comunicado assinado pelo presidente da entidade, Robson Braga de Andrade.

O documento diz que “a indústria nacional tem pressa na reindustrialização do Brasil”, e afirma que Josué “tem papel estratégico na condução dessa agenda positiva”.

“Ele tem toda a capacidade, além do respeito e do reconhecimento de seus pares, para trabalhar e elevar o potencial das indústrias paulistas e do Brasil ao patamar desejável para o crescimento e para o desenvolvimento do país”, diz o documento.

Empresário assume interinamente presidência da Fiesp

A disputa pela presidência da Fiesp ganhou escala na sexta-feira, quando o conselheiro mais velho da entidade, Miguel Elias Haddad, de 95 anos, anunciou por circular interna que estava tomando posse interina da presidência da entidade.

Os 47 diretores de sindicatos que votaram pela saída de Josué alegam que o estatuto prevê a escolha de um presidente interino por 30 dias. Josué, no entanto, conta com o apoio de diretores da entidade, que têm manifestado apoio ao empresário.

A expectativa é que o embate continue esta semana. Por enquanto o assunto não foi judicializado.

Leia a íntegra do comunicado da CNI:

“Prezado Presidente,

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) defende e acredita no processo democrático de escolhas de seus líderes para a condução das entidades sindicais patronais.

Como já manifestado em posicionamentos anteriores, a CNI respeita o estado democrático de direito, e os processos legais de escolhas de presidentes e de líderes para cumprir, pelo voto, a vontade da maioria.A indústria nacional tem pressa na reindustrialização do Brasil. O setor apresentou ao atual governo um Plano de Retomada. São os seus representantes que vão liderar – com os poderes Legislativo, Judiciário e Executivo; e com a sociedade – ações para que o país cresça de maneira sustentável. Só assim, dando importância ao papel da indústria, caminharemos para uma sociedade mais econômica e socialmente justa.

A CNI reconhece que o empresário Josué Gomes da Silva, presidente eleito da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), tem papel estratégico na condução dessa agenda positiva. Ele tem toda a capacidade, além do respeito e do reconhecimento de seus pares, para trabalhar e elevar o potencial das indústrias paulistas e do Brasil ao patamar desejável para o crescimento e para o desenvolvimento do país.

Atenciosamente,

Robson Braga de Andrade”