Bitcoin (BTC) fica acima de US$ 28 mil em dia de decisão do Fed, que pode impulsionar ainda mais as criptomoedas

Um tom mais ameno do presidente de Fed, Jerome Powell, poderá dar continuidade ao ciclo de valorização do bitcoin e se espalhar para as demais criptomoedas

O bitcoin (BTC) segue negociado nesta quarta-feira (22), dia de decisão de política monetária do Federal Reserve, acima de US$ 28 mil e no maior nível em nove meses.

Mais importante do que a decisão em si, amplamente esperada de alta de 0,25 ponto nos juros, será o “guidance” para o ajuste nas taxas nos próximos meses, o que pode trazer bastante volatilidade para os negócios.

Um tom mais ameno do presidente de Fed, Jerome Powell, poderá dar continuidade ao ciclo de valorização do bitcoin e se espalhar para as demais criptomoedas, segundo especialistas do setor. Já uma posição mais restritiva, que vigorava antes da crise dos bancos, terá o efeito inverso.

Cotações

Perto das 8h50 (horário de Brasília), o bitcoin era negociado a US$ 28.314,51, com alta de 0,2% nas últimas 24 horas, segundo o CoinGecko.

Já o ether valia US$ 1.797,19, com ganho de 2,5%.

O XRP, token da Ripple, tinha alta de 13,3%, negociado a US$ 0,4476, com a expectativa de decisão favorável em disputada judicial com a SEC (CVM dos EUA). Na véspera, o token chegou a subir perto de 25%.

Em reais, o bitcoin era cotado a R$ 149.017,84 (+0,41%), enquanto o ether estava em R$ 9.499,69 (+1,45%), de acordo com o MB.

Volatilidade

“Durante o dia é bem provável que tenhamos volatilidade, devido a decisão dos juros americanos. Isso com certeza irá mexer o ponteiro para o mercado cripto. Pelas expectativas do mercado, o mais provável é que o bitcoin suba depois do anúncio”, disse André Franco, chefe do Research do MB.

Segundo Ayron Ferreira, chefe de análise da Titanium Asset, a quarta promete bastante volatilidade dada a importância da decisão do Fed.

“O BC terá que encontrar um equilíbrio, para não enviar uma mensagem nem muito dovish nem muito hawish, pois corre o risco de desequilibrar ainda mais a inflação ou contribuir com a crise bancária. A forma como o Fed agir será decisiva para a direção dos mercados nos próximos dias”, disse.

Leia a seguir

Leia a seguir