Bolsa de valores hoje: mesmo com quedas de Vale e Gol, Ibovespa segura 128 mil pontos

Vale lembrar que a bolsa de valores ontem fechou em queda de 0,35%

Em um dia marcado pelo noticiário duro envolvendo duas grandes empresas brasileiras, a companhia aérea Gol e a mineradora Vale, a bolsa de valores hoje conseguiu segurar o humor do investidor. Se o Ibovespa não viveu uma grande jornada neste quinta-feira (25), ao menos conseguiu sustentar os 128 mil pontos, e fechou de lado, em leve alta de 0,28%.

O dólar à vista encerrou o dia cotado a R$ 4,9229, em alta de 0,19% frente a o real. A moeda norte-americana se beneficiou da divulgação do Produto Interno Bruto dos Estados Unidos (PIB), com números acima da previsão para o quarto trimestre de 2023.

Na esteira dos dados econômicos da economia americana, as bolsas de Nova York também fecharam em alta. com destaque para o índice Dow Jones, que fechou com ganho de 0,64%, aos 38.049,13 pontos. E o S&P, índice mais famoso do mundo, em alta de 0,53%, aos 4.894,16 pontos.

Vale é condenada pela Justiça

Principal empresa da bolsa, a Vale sofreu revés nesta quinta-feira, com a Justiça Federal de Minas Gerais condenando tanto a empresa quanto as mineradoras BHP e Samarco a pagarem R$ 47,6 bilhões em indenização pelos danos ambientais ocorridos em Mariana.

Em 2015, a região sofreu com o rompimento de uma barragem. O pagamento deverá ser feito com correção monetária.

Com a decisão, tomada pelo juiz federal substituto Vinicius Cobucci Sampaio, as ações da empresa (VALE3) recuaram 2,2%.

“Vale e BHP dispõem de recursos para arcar com a condenação, pois são as duas maiores mineradoras do planeta e não há necessidade de outras medidas cautelares por ora”, afirmou o magistrado na decisão.

De acordo com Sampaio, a indenização pelo dano moral coletivo servirá como uma garantia de não repetição dos acontecimentos.

Para ele, a ausência de resposta jurídica adequada, no momento, contribuiu para o rompimento da barragem em Brumadinho em 2019. O magistrado relembrou ainda que Minas Gerais possuía até dezembro de 2023 três barragens com risco de ruptura. Vale destacar que cabe recurso para a decisão do magistrado.

Gol pede recuperação judicial nos EUA

A companhia aérea Gol foi outra que sofreu nesta quinta-feira. As ações da empresa, a GOLL4, caíra 3,16% com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos. A informação foi anunciada pela empresa na tarde desta quinta, em fato relevante. A empresa entrou voluntariamente com pedido de Chapter 11 no Tribunal de Falências dos EUA.

A companhia afirma que, com o suporte do processo supervisionado pelo Tribunal e com a liquidez adicional do financiamento DIP, todas as suas operações continuam normalmente. Os voos estão operando conforme programado e as passagens aéreas e reservas permanecem em vigor.

“A Gol utilizará esse processo para reestruturar suas obrigações financeiras de curto prazo e fortalecer sua estrutura de capital para ter sustentabilidade no longo prazo. A companhia espera sair desse processo com um investimento significativo de capital, incluindo os novos US$ 950 milhões em financiamento DIP, posicionando-a para expandir sua posição como companhia aérea líder na América Latina”, diz o documento.

Melhores ações da bolsa de valores hoje

Logo a seguir as cinco maiores altas na bolsa de valores hoje. O ranking considera todos os índices da Bovespa e tem como critério listar apenas ações cujo volume de negociação foi superior a R$ 1 milhão.

  • OSX (OSXB3): +28,00%
  • Tenda ON (TEND3): +7,89%
  • Magazine Luiza ON (MGLU3): +7,81%
  • Meliuz (CASH3): +7,27%
  • Recrusul SA (RCSL4): +7,25%

Abaixo, veja as cinco principais ações em queda na bolsa de valores hoje. A lista segue os mesmos critérios do ranking de ações em alta.

  • Vittia SA (VITT3): -10,15%
  • Mobly ON (MBLY3): -5,37%
  • Yduqs ON (YDUQ3): -4,41%
  • Celulose Irani ON (RANI3): -4,02%
  • GOLL4 ON (GOLL4): -3,16%

Bolsas de valores hoje nos Estados Unidos

As Bolsas de Nova York fecharam em alta após leituras de inflação e de Produto Interno Bruto (PIB) contribuírem para expectativas de pouso suave nos Estados Unidos. Embora, diga-se, esse cenário ainda não seja garantido.

A temporada de balanços corporativos continua fazendo preço, provocando hoje o salto nos papéis da American Airlines e da IBM, e o tombo de 12% da Tesla.

No fim da tarde em Nova York, o índice Dow Jones fechou com ganho de 0,64%, aos 38.049,13 pontos; o S&P 500 subiu 0,53%, aos 4.894,16 pontos; e o Nasdaq, +0,18%, aos 15.510,50 pontos.

Nos juros, os retornos dos Treasuries (títulos do Tesouro americano) recuaram nesta quinta-feira, após a inflação PCE nos Estados Unidos voltar à meta de 2% no quarto trimestre do ano passado e corroborar a tese de que o Fed cortará juros este ano, apesar da resiliência do PIB. No fim da tarde em Nova York, o retorno da T-note de 2 anos caía a 4,303%, o da T-note de 10 anos recuava a 4,121% e o do T-bond de 30 anos cedia a 4,371%.

Bolsas na Europa

As bolsas da Europa fecharam sem direção única nesta quinta, enquanto os investidores digeriam a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE).

Por mais que a instituição tenha deixado juros inalterados, alguns analistas identificaram um subtexto “dovish” no tom da presidente Christine Lagarde, que esperavam que pressionaria mais contra expectativas de cortes antes do verão local.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com alta de 0,32%, aos 478,64 pontos.

Na Bolsa de Frankfurt, o DAX fechou com alta de 0,10%, aos 16.906,92 pontos; em Paris, o CAC 40 subiu 0,11%, aos 7.464,20 pontos; em Milão, o FTSE MIB cedeu 0,60%, aos 30.157,80 pontos; e, em Lisboa, o PSI 20 caiu 0,52%, aos 6.294,55 pontos. As cotações são preliminares.

Fora da zona do euro, a consultoria financeira St. James Place teve um dos piores desempenhos da Bolsa de Londres, caindo 4,38% na esteira da publicação do seu balanço trimestral. O índice britânico FTSE 100 fechou com alta de 0,03%, aos 7.529,73 pontos.

Com informações do Estadão Conteúdo