Blackstone limita resgates em fundo imobiliário; ações despencam

Ações da Blackstone sofreram um grande golpe depois que a gigante de investimentos limitou os resgates de um fundo imobiliário voltado a clientes ricos

As ações da Blackstone sofreram um grande golpe depois que a gigante de investimentos limitou os resgates de um fundo imobiliário voltado a clientes ricos.

A Blackstone Real Estate Income Trust, mais conhecida como Breit, disse nesta quinta-feira, em uma carta publicada em seu site, que a quantidade de saques solicitados em outubro excedeu o limite mensal de 2% de o valor patrimonial líquido e seu limite trimestral de 5 %.

O anúncio assustou os acionistas da Blackstone, que levaram as ações da empresa a cair quase 10% em determinado momento da manhã de hoje. Mais tarde, caíam 6,8%, dando à companhia um valor de mercado de mais de US$ 100 bilhões.

O Breit, um fundo de investimento imobiliário não negociado cujo valor líquido de ativos agora totaliza US$ 69 bilhões, tem sido um dos maiores motores de crescimento da Blackstone nos últimos anos. Isso ajudou a empresa de private equity a atrair uma nova classe de investidores que podem não ser ricos o suficiente para investir em seus fundos tradicionais, mas querem ter acesso a ativos típicos do segmento “private”.

O Breit foi projetado para gerar fluxos de caixa estáveis ​​para seus investidores. O fundo teve retornos líquidos de 9,3% no acumulado do ano e de 13,1% ao ano desde o início, com uma taxa de distribuição anualizada de 4,4%, de acordo com seu site.

Apesar desses retornos saudáveis, o veículo teve um aumento nos pedidos de resgate dos investidores nos últimos meses.

Com o mercado de ações em baixa e os títulos com baixo desempenho, os investidores ricos que precisam de liquidez têm poucas áreas de sua carteira onde possam vender ativos com lucro. A maior parte dos pedidos de resgate do Breit vem da Ásia, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto.

“Nosso negócio é construído com base no desempenho, não nos fluxos de fundos, e o desempenho é sólido como uma rocha”, disse um porta-voz da Blackstone em comunicado.

“O Breit proporcionou retornos extraordinários aos investidores desde o início, há quase seis anos, e está bem posicionado para o futuro.”

O fundo investiu pesadamente em imóveis residenciais para aluguel e em logística na região do “sun belt” dos EUA (sul e sudoeste do país), onde os preços se sustentaram, disse ele.

Executivos da Blackstone afirmaram que os limites de retirada do Breit foram projetados para evitar que o fundo fosse forçado a vender ativos. A empresa disse que o veículo tem US$ 9,3 bilhões em liquidez imediata e US$ 9 bilhões em títulos de dívida que poderia vender se necessário.

A Breit disse, em paralelo, nesta quinta-feira que concordou em vender sua participação de 49,9% no MGM Grand Las Vegas e no Mandalay Bay para sua coproprietária Vici Properties. A transação avalia os imóveis em US$ 5,5 bilhões e dará um lucro de US$ 700 milhões à Blackstone, que os comprou há menos de três anos. O negócio foi fechado com ágio quando o Breit estava avaliando os ativos em seus livros, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto.

A venda das propriedades do cassino dará ao Breit US$ 1,27 bilhão em dinheiro que pode ser usado em parte para cobrir o aumento em seus resgates, informou o “The Wall Street Journal”.