Banco do Brasil (BBAS3) busca liderar agenda sustentável em NY

Cúpula da instituição brasileira prepara ações para atrair investimentos nos EUA

Às vésperas da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) e da semana do clima em Nova York, a alta liderança do Banco do Brasil desembarca na Big Apple para uma agenda intensa que vai de reuniões com investidores e órgãos multilaterais a ações na Times Square e no Central Park.

O objetivo é atrair recursos para investimentos sustentáveis e, de quebra, estreitar o relacionamento da atual gestão com Wall Street, maior mercado financeiro do mundo, e os clientes brasileiros que residem nos Estados Unidos.

“O BB vai a Nova York como ator relevante em investimentos sustentáveis. Mas, mais que isso, pretendemos fomentar negócios ao prospectar novos investidores e novas fontes de financiamento, além de promover a disseminação da agenda de sustentabilidade junto à comunidade internacional”, diz a presidente do BB, Tarciana Medeiros, primeira mulher a comandar a instituição, em nota ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Nas palavras da presidente do banco, o BB quer atuar como um “hub” para empresários e investidores. “Vamos aproveitar que os holofotes do mundo estarão voltados para a ONU para gerar esses negócios e potencializar ainda mais a sustentabilidade de forma global”, diz.

Para tanto, Medeiros vem acompanhada de vice-presidentes do banco, incluindo Francisco Lassalvia, líder de Negócios de Atacado, Geovanne Tobias, que toca a área de Gestão Financeira e Relações com Investidores, e José Ricardo Sasseron, responsável por assuntos relacionados a Governo e Sustentabilidade Empresarial, fora o suporte local, de executivos do BB Americas, unidade do grupo nos EUA, e da gestora de recursos do banco, líder no Brasil com R$ 1,4 trilhão em ativos sob gestão.

A primeira agenda do BB em NY será em evento promovido pelo Pacto Global da ONU, o SDGs in Brazil, que ocorre nos dias 14 e 15 de setembro e reunirá empresários brasileiros como Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza, além de personalidades e líderes da sociedade brasileira e global.

Destaque para nomes como o da futurista norte-americana Amy Webb, fundadora e CEO do Future Today Institute, e do consultor britânico John Elkington, tido como o precursor da sustentabilidade ambiental e social.

Segundo a presidente do BB, o objetivo é mostrar os feitos do banco na agenda ASG, ou seja, com foco no meio ambiente, sustentabilidade e de governança, e como a instituição vai catapultar esses temas à frente.

Em paralelo, a alta liderança do banco público terá uma “agenda intensa” com investidores estrangeiros, mas também com representantes de organizações multilaterais, reforçando a relação com esses agentes.

O BB espera negociar mais de R$ 23 bilhões em crédito para a economia verde até o fim do primeiro semestre de 2024, em parceria com bancos de desenvolvimento globais, no intuito de viabilizar projetos de descarbonização, financiamento climático, energias renováveis e eficiência energética, e recuperação ambiental.

“A pauta verde é cada vez mais indispensável e cheia de oportunidades para o Banco e para as companhias brasileiras”, diz o vice-presidente de Negócios de Atacado do BB, Francisco Lassalvia, ao Broadcast, lembrando que a carteira de negócios sustentáveis do banco soma R$ 321,6 bilhões, o que lhe confere o posto de um dos maiores nomes do segmento no mundo.

Além disso, a missão do BB a NY está alinhada ao esforço do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de reinserir o Brasil na comunidade internacional, em especial na agenda sustentável.

Recentemente, o banco integrou uma missão à Ásia, ao lado de representantes do governo, em busca de recursos para recuperar 40 milhões de hectares de pastos com algum nível de degradação, e também lançou um plano para apoiar compromissos sustentáveis de clientes, estados e municípios brasileiros, batizado de Agenda 30.

Para fechar a turnê de negócios em NY, o BB promoverá ainda a ação “All Amazônia”, um chamamento global para a proteção da floresta amazônica que vai estampar os gigantes telões da Times Square, uma das avenidas mais importantes de Nova York.

Está previsto também um show no Central Park, com Olodum, a banda BaianaSystem e outras atrações.

Segundo fontes com conhecimento do assunto, Fafá de Belém e Carlinhos Brown também vão participar. Os objetivos são estreitar o relacionamento com clientes brasileiros que moram nos EUA e evidenciar a cultura brasileira.

Com informações do Estadão Conteúdo