Lucro da B3 (B3SA3) cai 1% no 1° tri, para R$ 1,08 bi com menor receita

Resultado também foi afetado por redução do ganho financeiro da companhia

O lucro da B3 (B3SA3) teve leve queda no 1° trimestre, na comparação anual, refletindo o recuo das receitas e um menor ganho no resultado financeiro. A companhia encerrou o período com lucro de R$ 1,08 bilhão, 1% menor que o lucro de R$ 1,1 bilhão apurado em igual intervalo de 2022.

A receita líquida chegou a R$ 2,2 bilhões, 3,3% abaixo da registrada um ano antes. O desempenho foi afetado pela queda de 9,3% da receita do segmento de ações e instrumentos de renda variável.

O período foi marcado por incertezas tanto no mercado externo, com preocupações com os sinais de instabilidade do setor bancário, quanto no mercado interno, com as dúvidas em relação ao arcabouço fiscal. Nesse cenário, o volume financeiro médio diário negociado (ADTV) de ações à vista caiu pouco mais de 19%, na comparação anual, para R$ 25,2 bilhões.

As despesas da B3 — que vinham apresentando crescimento nos últimos trimestres — caíram 0,5% nos três primeiros meses do ano, também na comparação anual, para R$ 851,8 milhões. No relatório que acompanha os resultados, a administração da B3 atribui a queda às “iniciativas de ganhos de eficiência”.

O resultado financeiro ficou positivo em R$ 142,1 milhões, quase 38% abaixo do ganho de R$ 229 milhões do primeiro trimestre de 2022. As receitas financeiras cresceram 1,6% com os efeitos positivos da recompra de cerca de US$ 53 milhões relativos ao Bond 2031. As despesas financeiras, porém, avançaram 5,4%, puxadas pelo maior CDI médio no período.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 1,61 bilhão, 5% menor que o registrado um ano antes.