Conheça as ações do Ibovespa que mais sobem e as que mais caem em 2022

Papéis de estatais se destacam na lista das principais valorizações, mas liderança é de uma credenciadora; resseguradora é a primeira entre as maiores baixas

Com alta de mais de 134% em 2022 até o fechamento desta quarta-feira (14), as ações ordinárias da credenciadora Cielo (CIEL3) lideram com folga o ranking das maiores altas do Ibovespa neste ano. O levantamento feito pelo Valor considera as empresas que compõem a atual carteira do índice, que vigora de setembro a dezembro.

Papéis ON e PN da estatal Petrobras (PETR3, PETR4), que registram altas de 63,04% e 62,85%, respectivamente, aparecem no top 5, que tem participação da farmacêutica Hypera (HYPE3), com +55,09%, na quarta colocação. Em quinto lugar estão as ações ordinárias do estatal Banco do Brasil (BBAS3), com quase 50% de valorização.

Maiores baixas

Entre as quedas, o primeiro lugar é ocupado pela ação ordinária da resseguradora IRB Brasil Re (IRBR3), com perdas de mais de 70%, seguida da empresa de cashback Méliuz (CASH3), que recua 61,42%.

A petroquímica Braskem (BRKM5), a fabricante de aeronaves Embraer (EMBR3), e a administradora de planos de saúde Qualicorp (QUAL3) completam o ranking da das maiores desvalorizações do Ibovespa neste ano.