Guararapes (GUAR3): lucro da dona da Riachuelo salta 124% no 4º trimestre, para R$ 229,7 milhões

A varejista, no entanto, encerrou 2023 com prejuízo de R$ 34,2 milhões ante lucro de R$ 51,9 milhões um ano antes

A Guararapes (GUAR3), dona da Riachuelo, reportou lucro líquido de R$ 229,7 milhões no quarto trimestre de 2023, alta de 124,7% em relação ao registrado no mesmo período de 2022. No consolidado, a companhia encerrou 2023 com prejuízo de R$ 34,2 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 51,9 milhões no ano anterior.

Já o Ebitda consolidado ajustado da companhia somou R$ 517,7 milhões entre outubro e dezembro, o que representou um aumento anualizado de 32,9%. A margem Ebitda consolidada atingiu 19% no trimestre de referência, alta de 4 p.p.

A receita líquida foi de R$ 2,7 bilhões, alta de 5,4% em comparação com o mesmo trimestre de 2022, resultado de crescimento das receitas em todos os segmentos operacionais: Mercadorias, Midway Financeira e Midway Mall.

A Guararapes encerrou o período de outubro a dezembro de 2023 com uma geração de caixa livre de R$ 763 milhões, 7,7% maior que igual intervalo de 2022. No consolidado do ano, o indicador chegou a R$ 1,029 bilhão, crescimento de 179,7% na comparação anual.

Já o resultado financeiro líquido ex-IFRS 16 totalizou uma despesa de R$ 85,5 milhões no trimestre, uma redução de 3,1% ante o mesmo período de 2022.

Segundo a companhia, em release divulgado ao mercado, o resultado foi impacto principalmente pela redução de 2,9% nas receitas financeiras, relacionado à menor variação monetária no período; e despesas financeiras de R$ 150,8 milhões, 0,3% menor em relação às apresentadas um ano antes, em função da redução de 2,1% dos juros sobre empréstimos e debêntures.

A dívida líquida totalizou R$ 1,06 bilhão ao final de dezembro de 2023, uma redução significativa em relação ao terceiro trimestre, quando registrou R$ 1,717 bilhão. A relação dívida líquida/Ebitda foi de 1,0 vez ao final de 2023, 0,9 p.p. menor que o trimestre finalizado em setembro. A dívida líquida/Ebitda pré-IFRS ficou em 1,4 vez, uma redução de 2,8 p.p. ante o terceiro trimestre de 2023.

Com informações do Estadão Conteúdo