Bolsas da Europa fecham na maioria em baixa, com cautela por China e observando aperto dos BCs

Aperto monetário entre os principais bancos centrais dos países desenvolvidos prossegue, o que pressiona os ativos de risco

As bolsas da Europa fecharam na maioria em baixa nesta terça-feira, 20, com cautela pelo cenário da economia global. Diante da desaceleração da China, maiores estímulos eram esperados no país, o que vem sendo frustrado nos últimos dias.

Além disso, o aperto monetário entre os principais bancos centrais dos países desenvolvidos prossegue, o que vem pressionando os ativos. Nessa semana, declarações de dirigentes e a decisão do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) são alvos de atenção.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,56%, a 459,44 pontos.

Para Edward Moya, analista da Oanda, as ações estão com uma base mais branda com a decepção com os esforços de estímulo do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) para o mercado imobiliário em dificuldades, e com as expectativas de que o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, defenderá os gráficos de pontos do último encontro da autoridade.

O PBoC cortou suas principais taxas de juros em 10 pontos-base, após reduzir juros secundários ao longo da semana passada. Alguns economistas, porém, esperavam um corte mais agressivo, de 15 pontos-base, em um momento em que a recuperação da segunda maior economia do mundo dá claros sinais de desaceleração.

Já nos EUA, a atenção fica com um testemunho de Powell no Congresso americano para apresentar relatório semianual de política monetária ainda nesta semana.

Na quinta-feira, 22, espera-se que o BoE eleve seus juros mais uma vez, após dados britânicos mostrarem firmeza no mercado de trabalho e persistência da inflação salarial. Em Londres, o FTSE 100 caiu 0,25%, a 7.569,31 pontos. Na semana passada, o Banco Central Europeu (BCE) aumentou juros em 25 pontos-base e sinalizou mais altas das taxas. Já o Fed manteve seus juros, após 10 aumentos consecutivos, mas sugeriu que voltará a elevá-los antes do fim do ano.

Na Alemanha, a taxa anual da inflação ao produtor (PPI) desacelerou para 1% em maio, ante 4,1% em abril. Em Frankfurt, o DAX recuou 0,55%, a 16.111,32 pontos.

Em Paris, o CAC 40 caiu 0,27%, a 7.294,17 pontos. Em Milão, o FTSE MIB recuou 0,64%, a 27.576,11 pontos. Já em Lisboa, o PSI 20 caiu 0,06%, a 6.041,44 Em Madri, o Ibex 35 foi exceção, e subiu 0,13%, a 9.444,50 pontos.