Bolsas da Europa sobem com balanços e PIB do Reino Unido

No Reino Unido, o PIB avançou levemente e dentro do esperado na comparação trimestral, arrefecendo as expectativas de recessão prolongada

As bolsas europeias mostram ímpeto de alta na manhã desta sexta-feira, ajudadas por balanços sólidos de empresas da região e por dados de crescimento do Reino Unido, que mostraram que o país escapou de uma recessão em abril. No entanto, o teto da dívida dos EUA e os temores com o setor bancário ainda limitam o sentimento de risco.

Às 8h01 (de Brasília), o índice Stoxx 600 subia 0,57%, a 466,24 pontos. Em Frankfurt, o DAX avançava 0,47%, a 15.908,64 pontos, e o parisiense CAC 40 tinha alta de 0,80%, a 7.440,84 pontos. Na bolsa de Londres, o FTSE 100 subia 0,27%, a 7.751,86. Papéis do Société Générale da França subiam 1,72%, após balanço, assim como os do grupo suíço Richemont, que avançavam 4,65%.

PIB do Reino Unido

No Reino Unido, o Produto Interno Bruto (PIB) avançou levemente e dentro do esperado na comparação trimestral, a 0,1%, arrefecendo, assim, as expectativas de recessão prolongada. Porém, no mês, houve contração de 0,3% em março, ante uma estabilidade em fevereiro.

Para a Capital Economics, os dados sugerem que a baixa renda real e as altas taxas de juros estão prejudicando a atividade. “Ainda não há recessão, mas com o peso total das taxas de juros mais altas ainda a serem sentidas, é muito cedo para dizer que está tudo bem”, diz a consultoria.

Teto da dívida americana

Por outro lado, as preocupações com o teto da dívida dos EUA e com a turbulência bancária ainda limitam os ganhos das ações. “Com a fraqueza nos bancos regionais dos EUA também retornando brevemente, o sentimento nos mercados continua frágil”, analisa a CMC Markets.

“No entanto, vimos uma recuperação modesta das mínimas do dia nos mercados dos EUA, depois que a reunião do teto da dívida foi adiada para a próxima semana, e isso parece se traduzir em uma abertura europeia positiva”, completa.