Bolsas da Europa fecham em alta com indicadores locais e possibilidade de Fed estabilizar juros

Bolsas europeias repercutiram uma série de indicadores econômicos publicados nesta quinta, além do discurso de Jerome Powell, do Fed

Os principais índices acionários da Europa fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (1), ainda repercutindo as declarações do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, que afirmou que o BC americano pode diminuir o ritmo de aumentos das taxas de juros já na próxima reunião de política monetária.

Os investidores também acompanharam a divulgação de uma série de indicadores econômicos no continente europeu ao longo da sessão.

Após ajustes, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,80%, a 443,96 pontos.

O FTSE 100, índice de referência da bolsa de Londres, desceu 0,19%, a 7558,49 pontos, o DAX, de Frankfurt, avançou 0,65%, a 14.490,30 pontos, e o CAC 40, de Paris, registrou valorização de 0,23%, a 6.753,97 pontos.

Entre os setores do Stoxx Europe 600, a principal alta ficou com o setor de automóveis e peças, que teve valorização de 1,93%. O segmento químico teve retração de 0,26%.

Na quarta, Powell sinalizou que o banco central americano deve reduzir o ritmo dos apertos monetários na próxima reunião de política monetária do Fed. Porém, ele reforçou que as taxas de juros finais do ciclo podem ser maiores do que o estimado anteriormente.

Euro e libra

As 13h55, o euro registrava alta de 0,76%, a US$ 1,05014, enquanto a libra avançava 1,44%, a US$ 1,22471. Já o índice DXY, que mede o peso do dólar ante seis moedas de mercados desenvolvidos, operava em queda de 0,99%, a 104,909 pontos.

Indicadores europeus

No continente europeu, diversos indicadores foram divulgados nesta quinta-feira, como o índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da zona do euro, que subiu para 47,1 em novembro, de 46,4 em outubro, conforme apontaram os dados divulgados na manhã desta quinta-feira pelo S&P Global.

Já o PMI industrial do Reino Unido subiu para 46,5 em novembro, de 46,2 em outubro. O indicador alemão ficou em 46,2 em novembro, acima dos 45,1 de outubro e o PMI industrial francês subiu para 48,3 neste mês, de 47,2 em outubro.

A taxa de desemprego da zona do euro caiu para 6,5% em outubro, de 6,6% em setembro, de acordo com dados da agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, divulgados na manhã desta quinta-feira. O resultado é um novo recorde de baixa.

“O mercado de trabalho permaneceu resiliente à luz da desaceleração da atividade no início do quarto trimestre, mas os principais indicadores sugerem que a demanda por mão de obra está diminuindo. O número de pessoas desempregadas na zona do euro caiu impressionantes 142 mil em outubro. A queda em outubro foi suficiente para levar a taxa de desemprego a um novo recorde de baixa”, apontou Melanie Debono, economista sênior para Europa da Pantheon Macroeconomics, em nota.