Bolsas dos EUA operam com instabilidade relacionada à covid na China e juros locais no radar

Agentes avaliam situação da covid na China e aguardam o discurso do presidente da autarquia, Jerome Powell, que acontece na quarta

Os principais índices acionários de Nova York apresentam um comportamento instável no início da sessão desta terça-feira, enquanto investidores acompanham o desenrolar dos protestos contrários às medidas de restrição contra a Covid na China e as ações do governo para conter tanto as manifestações quanto o avanço dos casos da doença.

Ao mesmo tempo, os agentes também avaliam declarações recentes de dirigentes do Federal Reserve (Fed, banco central americano) e aguardam o discurso do presidente da autarquia, Jerome Powell, que acontece amanhã.

Por volta das 12h30, o índice Dow Jones operava em alta de 0,20%, a 33.917,97 pontos, enquanto o S&P 500 exibia ganhos de 0,25%, a 3.973,39 pontos, e o Nasdaq avançava 0,20%, a 11.073,98 pontos.

Entre os índices setoriais do S&P 500, o melhor desempenho hoje ficava com o setor de energia no horário já mencionado. O setor avançava 1,42%, em dia de recuperação dos preços dos contratos mais líquidos do petróleo, que avançam mais de 2%. As ações da Exxon Mobil exibiam ganhos de 1,07%.

Petróleo

Os ganhos do petróleo se consolidam tanto com uma perspectiva de que o governo chinês pode ter que reavaliar sua política de restrições para conter a covid quanto com relatos de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) pode cortar mais barris de sua produção.

China

Em relação à China, Esty Dwek, diretor de investimentos do FlowBank, disse à “Dow Jones Newswires” que, em última análise, o governo chinês terá de ser muito mais claro. “Eles precisam administrar as políticas de covid zero sem afetar muito o crescimento”, disse.

“Acho que o mercado espera que isso leve ao fim do covid zero. Mas isso provavelmente é prematuro”, completou Dwek.

O investidor também segue aguardando o discurso de Jerome Powell, presidente do Fed, que deve ser feito amanhã.

Esta é a última semana de comentários dos integrantes do BC americano, já que a partir de sábado se inicia o período de silêncio que antecede a decisão das taxas de juros em dezembro.

O foco do investidor também deve se manter em dados econômicos, com uma série de divulgações agendadas para quarta e quinta-feira.

Os números principais, no entanto, devem ser divulgados na sexta-feira com o “payroll”, do mercado de trabalho americano.

Hoje na sessão os dados mostraram uma desaceleração nos preços de residências nos Estados Unidos no acumulado em 12 meses.

Craig Lazzara, diretor-gerente da S&P Dow Jones Indices, disse que “à medida que o Fed continua elevando as taxas de juros, o financiamento hipotecário se torna mais caro e a habitação, menos acessível”, disse.

“Dadas as perspectivas contínuas de um ambiente macroeconômico desafiador, os preços das casas podem continuar a enfraquecer”, completou o diretor.

Câmbio

No horário acima, o índice DXY, que mede o peso do dólar ante seis moedas de mercados desenvolvidos, operava em queda de 0,27%, aos 106,393 pontos. Já o rendimento da T-note de dez anos avançava, a 3,717%, de 3,685%.