Bolsas de Nova York fecham em alta com investidores avaliando dados de inflação e consumo nos EUA

Depois da queda nos primeiros minutos do pregão, os índices acionários de Wall Street se recuperaram

As bolsas de Nova York avançaram no pregão desta sexta-feira (27), recuperando-se de uma abertura fraca e após os índices futuros sugerirem queda das ações. Investidores avaliam dados de inflação em dezembro que reforçam a desaceleração dos preços nos EUA, bem como a queda acima do esperado em gastos com consumo.

O índice Dow Jones subiu 0,08%, o S&P 500 avançava 0,23%, e o Nasdaq subia 0,95%.

Depois de caírem nos primeiros minutos do pregão por conta de temores de recessão nos EUA – desencadeados pela queda de 0,2% nos gastos com consumo de americanos em dezembro – os índices acionários de Wall Street se recuperaram e iniciaram a tarde em alta.

Consumo e inflação mais fracos

Enquanto o consumo mostra sinais de fraqueza, a desaceleração do núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) a 4,4% no último mês de 2022 dá esperança de que o Federal Reserve (Fed) poderá em breve adotar uma postura mais favorável ao mercado de ações.

Economista Internacional Chefe do ING, James Knightley ressalta ainda que os números do núcleo do PCE vieram abaixo do que indicam as últimas projeções do Fed. “Se a desaceleração do PCE e as forças de recessão continuarem se intensificando, o Fed começará a cortar juros na segunda metade do ano”, prevê.

Balanços

A temporada de balanços também dá impulso à bolsa. Após informar seus resultados ontem, a ação da Visa subia 3,23% no horário citado.

Já a American Express disparava 10% depois de a companhia anunciar aumento de dividendos e melhorar suas projeções para o lucro líquido total de 2023.