Bolsas dos EUA fecham em alta após fim de pregão volátil com temor por crise bancária

Índices nova-iorquinos se firmaram em alta, com ganhos concentrados no setor de tecnologia, considerado de alta capitalização

As bolsas de Nova York conseguiram sustentar ganhos ao fim do pregão de hoje, marcado por volatilidade após um relatório da Moody’s renovar os temores do mercado sobre a possibilidade de que a crise que afetou bancos regionais nos EUA se espalhe por outros setores da economia americana.

O apetite por risco, contudo, se sobressaiu em meio à leitura de que o Federal Reserve (Fed) está perto de encerrar seu ciclo de aperto monetário.

Índices

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,23%, a 32.105,250 pontos.

O S&P 500 avançou 0,30%, a 3.948,72 pontos.

O Nasdaq teve ganhos de 1,01%, a 11.787,40 pontos.

Perspectiva de um Fed mais brando

O pregão, que foi positivo na maior parte do dia em meio à percepção de que o Fed será mais brando em suas próximas decisões de juros, ganhou volatilidade com pouco mais de uma hora do término na esteira de relatório da Moody’s que alertou que os impactos da recente crise bancária americana podem se espalhar a outros setores e prejudicar a economia de forma mais ampla.

O risco, de acordo com a agência, é o de que as autoridades “sejam incapazes de reduzir a atual turbulência sem repercussões mais duradouras e potencialmente graves dentro e fora do setor bancário”.

Ganhos concentrados em tecnologia

Mais perto do fim do pregão, contudo, os índices nova-iorquinos se firmaram em alta, com ganhos concentrados no setor de tecnologia. Por concentrar empresas de alta capitalização, o setor tende a se beneficiar da leitura de que o Fed já não deve subir mais os juros como se esperava.

“Os desejos dos investidores podem se tornar realidade: os riscos de contágio [da crise bancária] são baixos o suficiente para o Fed aumentar os juros e as pressões inflacionárias são suaves o suficiente para o Fed estar perto do fim do ciclo de aperto monetário”, avalia o economista-chefe da LPL Research, Jeffrey J. Roach.

Ações

À medida que a inflação nos EUA reduzir mais rapidamente no segundo semestre, diz, os investidores devem aumentar sua exposição a ativos de risco, como ações.

Apesar da melhora nas bolsas ao fim do pregão, papéis do setor financeiro terminaram a sessão em baixa, no geral. Entre os destaques, o Bank of America recuou 2,50%, o Wells Fargo cedeu 1,59% e o Citigroup baixou 0,57%. Já entre os bancos regionais, o First Republic tombou 6,15%, o PacWest teve forte baixa de 8,15% e o Western Alliance desvalorizou 1,79%.

Leia a seguir

Leia a seguir