Bolsas de NY: Tesla (TSLA; TSLA34) tem alta de quase 6%, maior ganho no dia do S&P 500

O desempenho da Tesla contrariou o movimento de outras montadoras como General Motos (-1,08%) e Ford (-0,66%)

As ações da Tesla (TSLA; TSLA34) foram o destaque do pregão nas bolsas em Nova York nesta quarta-feira (4). Os papéis da montadora de veículos elétricos registraram de ganhos de 5,93%, o melhor desempenho na Nasdaq. Com a alta desta quarta, a Tesla também tornou-se a maior ganhadora do índice S&P 500. A empresa é um das companhias cujos papéis são negociados na Nasdaq, mas também fazem parte do S&P 500, índice que compreende as 500 maiores empresas de capital aberto dos EUA. Já a Nasdaq é uma das bolsas de valores de Nova York. A outra é a New York Stock Exchange (NYSE).

O desempenho da Tesla contrariou o movimento de outras montadoras como General Motos (-1,08%) e Ford (-0,66%) em meio à greve do sindicato United Auto Workers (UAW). A Oxford Economics avalia que a paralisação aumenta riscos negativos para vendas de veículos nos EUA nos próximos meses, já que deverá acarretar na redução de estoques.

Bolsas de Nova York

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quarta, em sessão marcada por dado de emprego surpreendentemente fraco nos EUA, que arrefeceu apostas em aumento adicional de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) neste ano.

O índice Dow Jones fechou com ganho de 0,39%, aos 33.129,55 pontos; o S&P 500 subiu 0,81%, aos 4.263,75 pontos; e o Nasdaq avançou 1,35%, aos 13.236,01 pontos. O setor de energia teve o pior desempenho (-3,36%) entre os 11 do S&P 500. O tombo ocorre em função da desvalorização de 5% nos preços do petróleo. As ações das petrolíferas Chevron e ExxonMobil cederam 2,33% e 3,74%, respectivamente.

O relatório da ADP indicou que o setor privado dos Estados Unidos criou 89 mil empregos em setembro, bem menos que a expectativa de 140 mil de analistas consultados pela FactSet. O resultado aquém do esperado ampliou a chance de Fed pausar o ciclo de alta de juros neste ano, de acordo com monitoramento do CME Group.

Com informações do Estadão Conteúdo.