Bolsas da Ásia fecham em baixa após decepção com corte de juros na China

Agentes financeiros esperavam um corte mais agressivo em um momento em que a recuperação da segunda maior economia do mundo desacelera

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira (20) após a China decepcionar com uma redução de juros mais modesta do que se previa.
Nos mercados chineses, o Xangai Composto recuou 0,47%, a 3.240,36 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve perda marginal de 0,05%, a 2.080,44 pontos.

O banco central chinês (PBoC) cortou hoje suas principais taxas de juros em 10 pontos-base, após reduzir juros secundários ao longo da semana passada. Alguns economistas, porém, esperavam um corte mais agressivo, de 15 pontos-base, em um momento em que a recuperação da segunda maior economia do mundo dá claros sinais de desaceleração.

O Goldman Sachs, por exemplo, ajustou para baixo sua projeção de alta do Produto Interno Bruto (PIB) chinês este ano, de 6% para 5,4%.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 1,54% em Hong Kong, a 19.607,08 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi mostrou leve queda de 0,18% em Seul, a 2.604,91 pontos, e o Taiex cedeu 0,52% em Taiwan, a 17.184,91 pontos.

Exceção, o Nikkei apresentou ligeiro ganho de 0,06% em Tóquio, a 33.388,91 pontos, sustentado em parte por tradings japonesas nas quais a Berkshire Hathaway elevou participação.

Na Oceania, a bolsa australiana ignorou o viés negativo da Ásia pelo segundo dia consecutivo, encerrando o pregão no maior nível em dois meses, após ata do RBA, como é conhecido o BC do país, mostrar que a recente decisão de elevar seu juro básico foi apertada. O S&P/ASX 200 avançou 0,86% em Sydney, a 7.357,80 pontos.