Bolsas da Ásia fecham mistas, com possíveis novos estímulos na China e após Fed

Novos indicadores mostram perda de fôlego da economia chinesa

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira (15) parcialmente sustentadas por esperanças de mais estímulos na China em meio a novos sinais de desaceleração da segunda maior economia do mundo e um dia após o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) manter juros, mas também prever aumentos ainda este ano.

Nos mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 0,74%, a 3.252,98 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,18%, a 2.062,95 pontos.

Dados oficiais mostraram que a produção industrial chinesa subiu 3,5% na comparação anual de maio, como previam analistas, mas também desacelerou significativamente em relação ao ganho de 5,6% visto em abril. O mesmo ocorreu no varejo, cujas vendas tiveram expansão anual de 12,7% em maio, bem menor do que o acréscimo de 18,4% do mês anterior.

Os novos indícios de que a recuperação pós-covid-19 da China está perdendo fôlego reforçaram expectativas de que Pequim siga adotando medidas de estímulos.

“Para combater a fraqueza persistente na economia, esperamos mais medidas de flexibilização da demanda nos próximos meses, que podem ser anunciadas já na sexta-feira, especialmente nos âmbitos fiscal e imobiliário”, disse o Goldman Sachs, em nota a clientes.

O banco central chinês (PBoC) reduziu sua taxa de juros de médio prazo besta quinta (pelo horário local), após cortar taxas de curto prazo nos últimos dias. A expectativa é que os principais juros chineses, de mais longo prazo, também sejam reduzidos na próxima semana.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng saltou 2,17% em Hong Kong, a 19.828,92 pontos, e o Taiex avançou 0,56% em Taiwan, a 17.334,98 pontos, mas o japonês Nikkei caiu 0,05% em Tóquio, a 33.485,49 pontos, após subir pela quarto pregão seguido na quarta-feira e renovar máxima em 33 anos, e o sul-coreano Kospi recuou 0,40% em Seul, a 2.608,54 pontos.

O comportamento misto na região asiática veio após o Fed, como é conhecido o BC dos EUA, deixar seus juros inalterados na quarta, como era amplamente esperado, mas também sinalizar que pode voltar a elevar suas taxas mais duas vezes antes do fim do ano.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul pela quarta sessão consecutiva nesta quinta. Em Sydney, o S&P/ASX 200 avançou 0,19%, a 7.175,30 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.