Bolsas da Ásia fecham em queda com temores de recessão; Hong Kong é exceção

Os mercados também olharam para a China após mais um anuncio de uma redução de medidas restritivas na China

As bolsas asiáticas fecharam em queda nesta quinta-feira, com temores de uma recessão nos EUA e avaliando as perspectivas econômicas globais antes da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed) na semana que vem.

Os mercados também olharam para a China após mais um anuncio de uma redução de medidas restritivas na China.

Japão

Em Tóquio, o índice Nikkei encerrou a sessão com queda de 0,40%, a 27.574,43 pontos, com o setor de eletrônicos liderando as quedas da sessão.

Os mercados também acompanham com cautela as perspectivas dos aumentos de taxas de juros nos EUA na semana que vem, na reunião de política monetária do Fed.

A Nidec Corp caiu 2,9% e Sony Group registrou queda de 1,9%.

Coreia do Sul

Já o índice Kospi, da Coreia do Sul, fechou em retração de 0,49%, a 2.371,08 pontos, registrando queda pela quinta sessão consecutiva. As ações do setor de varejo lideraram as quedas da sessão.

Os investidores estão preocupados com o aperto monetário do BC americano e a possibilidade de uma recessão nos Estados Unidos.

A varejista Shinsegae Co. teve queda de 3,3% e a siderúrgica Hyundai Steel caiu 2,6%.

Hong Kong

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve forte alta de 3,38% na sessão, a 19.450,23 pontos, ainda repercutindo os recentes anúncios de um relaxamento das medidas de “covid zero” na China.

As empresas do setor de consumo lideraram os ganhos. A Sands China teve alta de 10%, a Meituan registrou valorização de 6,4% e Haidilao cresceu 6,2%. Analistas dizem que o mercado estaria observando como a China lida com um aumento esperado de infecções e uma possível escassez de recursos médicos, após a flexibilização de medidas restritivas.

China Continental

Na China Continental, o índice Xangai Composto fechou em leve queda de 0,07%, a 3.197,3499 pontos. Após as medidas de relaxamento, os investidores se preocupam que novos casos de covid-19 possam aumentar sem as medidas restritivas na China.

As empresas de software e hardware lideraram as quedas com o Beijing Kingsoft Office Software caindo 2,1% e Yonyou Network Technology contabilizando queda de 1,5%.