Bolsas da Ásia fecham mistas após Fed e dados da China

Na quarta, o Fed anunciou que algum "endurecimento adicional" na política de juros pode acontecer para que a inflação retorne a 2%

As bolsas asiáticas fecharam mistas nesta quinta-feira, com investidores ainda digerindo a decisão do Federal Reserve (Fed). Além disso, dados de atividade da China também estão no radar, ao passo que, no Japão, um feriado deixou os mercados fechados.

O Hang Seng, de Hong Kong, subiu 1,3%, a 19.948,73 pontos, enquanto o índice sul-coreano Kospi, da bolsa de Seul, fechou estável, a 2.500.94 pontos. Por fim, o Xangai composto subiu 0,8%, a 3.350,46 pontos.

Juros nos EUA

Conforme esperado, o banco central americano elevou a sua taxa de juros em 25 pontos base e retirou do comunicado a mensagem de que “antecipa que algum endurecimento adicional pode ser apropriado para atingir uma postura de política monetária que seja suficientemente restritiva para retornar a inflação para 2% ao longo do tempo”, presente nas decisões anteriores.

Dessa forma, a instituição deixou a porta aberta para uma pausa do ciclo de aperto nas próximas decisões, apesar de não ter cravado essa perspectiva no documento.

Comentários de Powell

Com relação à coletiva de Jerome Powell, que foi considerada hawkish pela maioria do mercado, o Bank of America (BoFA) destaca que, em termos de perspectiva para cortes nas taxas de juros, o banqueiro central manteve sua mensagem anterior.

“Na previsão do Fed, onde a economia amolece e a inflação de serviços permanece rígida, ele afirmou que o comitê não vê cortes de juros no futuro próximo como apropriados”, destaca o banco.

China

Na China, o índice de gerentes de compras (PMI) do setor de manufatura Caixin da China caiu para 49,5 em abril, de 50,0 em março. Foi a primeira vez em três meses que o índice ficou abaixo da marca de 50, que indica contração de atividade.

“Isso sugere que a recuperação econômica da China desacelerou significativamente depois que as infecções por covid-19 atingiram o pico no início deste ano”, disse Wang Zhe, economista do Caixin Insight Group.

Por outro lado, segundo dados do governo, o turismo da China se recuperou para os níveis pré-covid durante o feriado do Primeiro de Maio, com o número de viagens domésticas aumentando em mais de dois terços em relação ao ano anterior. Isso aumenta a perspectiva de recuperação da economia chinesa.