Aumento de casos de covid na China derruba bolsas da Ásia

Os mercados também acompanharam com pessimismo as declarações de diversos membros do Federal Reserve (Fed) favoráveis ao aperto monetário

As bolsas asiáticas fecharam em queda nesta segunda-feira, pressionadas pela alta de casos de covid-19 na China, que fez com que diversas cidades do país aplicassem medidas mais restritivas para conter o avanço das infecções. Os mercados também acompanharam com pessimismo as declarações de diversos membros do Federal Reserve (Fed), que adotaram um tom mais “hawkish” (favoráveis ao aperto monetário).

Em Tóquio, o índice Nikkei encerrou a sessão com alta de 0,16%, a 27.944,79, ainda repercutindo os dados mais fracos que foram publicados nos Estados Unidos na semana passada, apesar de declarações consideradas mais “hawkish” de diversos membros do Fed.

Na sessão, a Resona Holdings subiu 2,3%, a Tokio Marine Holdings teve alta de 2,3% e a Sumitomo Metal Mining registrou valorização de 2%.

Já o índice Kospi, da Coreia do Sul, teve queda de 1,02%, a 2.419,50, com as ações do setor de construção naval e semicondutores liderando o recuo. Os investidores sinalizaram um pessimismo em relação a uma redução de ritmo dos apertos monetários do banco central americano e com dados preliminares relacionados as exportações coreanas em novembro, que registraram queda.

As empresas do setor de construção naval Samsung Heavy Industries e Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering caíram 3,9% e 4,2%, respectivamente. A fabricante de baterias LG Energy Solution perdeu 4,2% e a fabricante de chips de memória SK Hynix caiu 2,4%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng encerrou a sessão com retração de 1,87%, a 17.655,91, com a alta de casos de coronavírus na China e o registro da primeira morte pela doença em seis meses.

As ações dos casinos de Macau lideraram as perdas, com a Sands China e Galaxy Entertainment registrando queda de 7,7% e 5,8%, respetivamente. Outras ações do setor de turismo e consumo também tiveram queda na sessão, como a empresa de restaurantes Haidilao, que caiu 7,1% e a produtora de cerveja Budweiser Brewing, que teve queda de 6,3%.

Na China Continental, o índice Xangai Composto registrou queda de 0,39%, a 3.085,0444, com os casos de covid no país em alta em diversas cidades do país, fazendo com que várias cidades optassem por medidas restritivas mais rígidas para controlar o número de infecções.

Os provedores de serviços ao consumidor, como restaurantes, cinemas e agências de turismo lideraram as quedas da sessão. A companhia Caissa Tosun caiu 5,0%, a China Film teve queda de 5,8% e Shanghai Jinjiang International Hotels perdeu 4,0%.

O banco central da China decidiu manter as taxas básicas de juros do país inalteradas neste mês, mesmo com um cenário de desaceleração do crescimento econômico e a desvalorização do yuan.