Após período ruim, bolsa começa semana em busca de ventos melhores

Ata do Copom e inflação oficial podem interferir no resultado desta semana

O Ibovespa começa a semana em busca de recuperação após a anterior, que se encerrou na última sexta-feira (4), apresentar panorama negativo: a queda semanal foi de 0,81%, com o índice a 119.507 pontos. Esse resultado interrompeu uma sequência de duas semanas seguidas de valorização.

Há algumas agendas importantes para determinar o fôlego da bolsa de valores. A primeira delas é a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária, o Copom. O documento será divulgado nesta terça-feira (8) a partir das 8h.

É neste documento que o mercado tomará conhecimento sobre detalhes da decisão que reduziu a taxa básica de juros da economia, a Selic, de 13,75% para os atuais 13,25% – a redução de 0,50 ponto porcentual não era esperada pela maioria dos especialistas.

Dados de inflação e balanços

Se a semana tem logo na terça-feira a ata do Copom, ela se encerra com a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA. Responsabilidade do IBGE, trata-se da inflação oficial do país e o resultado pode afetar a bolsa. Para o bem ou para o mal.

Por fim, nesta semana, o investidor ainda precisa ficar de olho em dois balanços: Itaú divulga seus dados nesta segunda-feira, após o fechamento do mercado, e na quarta-feira será a vez do Banco do Brasil. Há ainda na semana outros balanços importantes a serem tornados públicos. Entre eles, os da Braskem, Eletrobras e MRV.

Bolsas asiáticas

Os mercados acionários da Ásia não registraram sinal único, nesta segunda-feira, 7. Tóquio exibiu alta, ainda que modesta, enquanto na China a Bolsa de Xangai recuou, com ações de incorporadoras sob pressão.

Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei registrou avanço de 0,19%, em 32.254,56 pontos. A praça japonesa chegou a recuar em parte do dia, mas foi ajudada pelo quadro positivo logo cedo nos índices futuros de Nova York.

Estrategista de mercados do Saxo Markets, Charu Chanana considera que o debate sobre a inflação nos EUA será crucial nesta semana, por seus impactos nos juros globais. Entre os destaques hoje em Tóquio, Astellas Pharma subiu 10% e Unicharm, 8,4%.

Já na China, a Bolsa de Xangai fechou em queda de 0,59%, em 3.268,83 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, caiu 0,66%, a 2.057,82 pontos. Incorporadoras estiveram sob pressão, em meio a rumores de que um governo local poderia assumir o controle da endividada Country Garden, uma das maiores do setor imobiliário chinês.

Entre as concorrentes, China Vanke caiu 3,35% e China Merchants Shekou, 3,5%. Farmacêuticas também se saíram mal, com Shenzhen Mindray Bio-Medical Electronics em queda de 6,0% e Jiangsu Hengrui Medicine, de 4,7%. Nesta semana, há expectativa por dados de inflação da China e também por alguns balanços importantes do setor tecnológico do país.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng registrou baixa de 0,01%, para 19.537,92 pontos. O mercado local oscilou entre ganhos e perdas no dia, com ações de farmacêuticas sob pressão em meio a temores sobre regulação no setor.

Após o principal órgão anticorrupção da China anunciar uma investida contra farmacêuticas, várias cidades seguiram adiante com pressão sobre o mesmo setor na última semana, reportou a imprensa estatal.

Hansoh Pharmaceutical caiu 10% e Sino Biopharmaceutical, 5,6%. As incorporadoras chinesas, por sua vez, sofriam com temores sobre sua estabilidade. O papel da endividada Country Garden recuou 7,7% na praça local, e Wharf Real Estate Investment teve queda de 5,8%, mesmo após registrar lucro no primeiro semestre, revertendo prejuízo em igual período do ano passado.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi registrou queda de 0,85% em Seul, terminando na mínima do dia, em 2.580,71 pontos. A baixa foi a quarta consecutiva, com ações de montadoras sob pressão. Há cautela entre investidores à espera de dados de inflação dos EUA, nesta semana. Fornecedora de materiais para baterias de veículos elétricos, Posco Future M caiu 8,6% e a concorrente LG Energy Solution teve baixa de 4,8%, com realização de lucros após ganhos recentes. Hyundai Motor recuou 2,2%.

Em Taiwan, o índice Taiex fechou em alta de 0,90%, em 16.996,00 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo