Com ações em alta, Renner nega negociação para compra da C&A, que despenca na Bolsa

A Renner respondeu a ofício enviado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que pediu posicionamento por se tratar de fato relevante em potencial.

A Lojas Renner (LREN3) anunciou nesta terça-feira (17) que não procedem as informações veiculadas na imprensa de que a empresa estaria negociando a compra da operação brasileira da C&A (CEAB3).

Rumores apontavam que as empresas avançavam no sentido de unir as operações de duas das maiores empresas de varejo de moda do país

Por volta das 14h20, as ações da Renner registravam alta sensível na Bolsa, avançando 1,57%, a R$ 20,04. No sentido contrário, a C&A registra queda importante, de 4,05%, revertendo parte dos ganhos registrados no pregão da segunda, quando a empresa teve a segunda maior alta da B3, com valorização de 11,5%, atrás apenas do Magalu (MGLU3).

CVM pediu explicações

A Renner respondeu a ofício enviado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que pediu posicionamento por se tratar de fato relevante em potencial.

“Dessa forma, entendemos que não há esclarecimentos adicionais, bem como não há que se falar em fato relevante”, completa a Lojas Renner.

Ainda na segunda, o presidente da C&A, Paulo Correa, havia dito ao Valor que não há qualquer movimento da empresa no sentido de negociar uma possível aquisição pela Lojas Renner.