Petrobras (PETR3; PETR4) fecha em alta firme e sustenta avanço do Ibovespa; presidente despista sobre Braskem (BRKM5)

Jean Paul Prates comentou que decisão sobre assumir controle da petroquímica será tomada no devido momento

As ações da Petrobras encerraram a sessão desta quarta-feira (14) em alta firme e ajudaram a impulsionar o Ibovespa. Os papéis ordinários da estatal subiram 4,30% (R$ 33,69), enquanto os preferenciais avançaram 3,78% (R$ 29,68).

Já o principal índice acionário da bolsa brasileira ganhou 1,99%, aos 119.068 pontos – maior patamar desde outubro de 2022.

O movimento positivo no pregão refletia a perspectiva (confirmada) de paralisação do aperto monetário nos Estados Unidos. O Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciou durante a tarde sua decisão de juros em linha com a projeção predominante de manutenção da faixa no intervalo entre 5% e 5,25% ao ano.

O cenário é favorável para mercados emergentes, como o Brasil. A Petrobras se destaca por figurar entre as companhias de maior liquidez no mercado doméstico.

Além disso, no radar dos investidores, está o rumor de que a estatal poderia cobrir a oferta da Unipar (UNIP6) para assumir o controle da Braskem (BRKM5). O presidente da petroleira, Jean Paul Prates, comentou a empresa tem mantido uma posição “inerte” em relação ao processo de desinvestimento ou aumento da participação da companhia na petroquímica, mas que internamente a questão está sendo trabalhada.

Após reunião com o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, ele afirmou que a decisão sobre o tema será tomada no “devido momento”.

“Nada a declarar sobre a questão da Braskem. A decisão vai ser tomada no devido momento. Temos direito de preferência e estamos confortáveis em relação a essa posição. Vamos analisar tudo que está acontecendo, mas não podemos dizer nada, porque nesse caso, justamente, isso presta muita especulação”, disse Prates.