Custos derrubam resultados da Gerdau no 4º tri, mas dentro do esperado, diz BTG; ações sobem

Gerdau precisa dar um pouco mais de clareza na direção dos resultados, dizem analistas

A Gerdau reportou resultados fracos no quarto trimestre e linha com as estimativas, ao continuar a lidar com pressões de custos no Brasil e nos Estados Unidos, bem como preços realizados mais baixos, semelhante a outras siderúrgicas, diz o BTG Pactual, em relatório.

Os analistas Leonardo Correa e Caio Griner escrevem que a Gerdau (GGBR3; GGBR3) também divulgou seu plano de investimento para 2023 em R$ 5 bilhões, que não inclui os investimentos do Gerdau Next e pode ser o que falta ante o consenso de R$ 6 bilhões para o ano.

Por volta das 14h20, as ações preferenciais da empresa (GGBR4) subiam 1,75%. As ordinárias (GGBR3) valorizavam 1,61%.

Primeiro tri não deve ter mudança

“Olhando para frente, não estamos tão confiantes de que os resultados se recuperarão significativamente no primeiro trimestre de 2023, pois os preços de referência no Brasil e spreads mais estreitos nos Estados Unidos devem continuar a moderar as margens da empresa”, dizem.

Segundo eles, o mercado permanece altamente cético com estoques, e também é preciso um pouco mais de clareza na direção dos resultados, principalmente em Brasil, a fim de reconquistar a confiança com a tese no curto prazo.

O BTG Pactual tem recomendação de compra para as ações da Gerdau, com preço-alvo de R$ 39, potencial de alta de 34% ante o valor negociado no momento na B3.