Ações de aéreas sobem após Senado estender isenção de PIS/Cofins

Isenção que valia até o fim deste mês agora vai até 2026. Itaú BBA estima aumento de 10% do Ebitda para Azul e Gol

As ações das companhias aéreas Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) subiam na B3 nesta quinta-feira, após o Senado Federal ter aprovado na noite da véspera a extensão de alíquota zero de PIS/Cofins sobre transporte de passageiros pelo setor até 2026.

O texto será agora submetido à aprovação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A medida provisória entrou em vigor em janeiro e tinha previsão de terminar neste mês.

No final do pregão de quinta-feira, a ação PN da Azul fechou em alta de cerca de 7%, cotada a R$ 15,60, a GOL PN subiu 2,37%, a R$ 7,81, e o Ibovespa subiu 1,15%, aos 110.054 pontos. Na mínima intradiária, o índice à vista tocou os 108.800 pontos e, na máxima, os 111.115 pontos.

Impacto positivo no Ebitda

Em relatório, o Itaú BBA afirmou que a decisão do Senado é positiva para ambas as companhias aéreas, ao estimar que elas pagariam uma alíquota de aproximadamente 2% a 3% sobre a receita de passageiros em 2022.

“Calculamos que o impacto positivo no Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) poderia ficar próximo a R$ 270-400 milhões para Azul e GOL no 2T23-4T23 (aumento de 5% a 9% em relação à nossa estimativa do ano fiscal de 2023).

Daniel Gasparete, Gabriel Rezende e Luiz Capistrano, que assinam o relatório do Itaú BBA, estimam que de 2024 em diante, a medida resultará em alta de cerca de 10% no Ebitda de Azul e Gol.