Qual conta digital rende mais? Comparamos 6 delas; veja o resultado

Confira o ranking das contas com as melhores remunerações automáticas e saiba o que considerar antes de escolher uma delas

Com retornos melhores que os da poupança, as contas digitais remuneradas podem ser uma opção para fazer o dinheiro render sem muito esforço. Afinal, a premissa é simples: o valor parado rende em uma aplicação automática. O retorno varia de acordo com a proposta da instituição financeira – que pode ser um banco, uma corretora ou até uma fintech. Mas, então, qual banco rende mais?

“Essas contas têm como alvo os clientes mais jovens, que buscam acesso a serviços bancários com menores custos. São pessoas que têm uma renda mensal de até três ou quatro salários mínimos. Os clientes utilizam este recurso para deixar o dinheiro do mês, aquele será utilizado ao longo dos próximos dias ou semanas. Por isso, o objetivo é rentabilizar este dinheiro para ele não ficar parado na conta” explica o educador financeiro Felipe Nascimento. 

De acordo com o especialista, o fato de pagar mais do que a poupança, geralmente 100% ou mais do CDI, tem atraído muitos clientes para este tipo de produto.

Então, qual conta vale mais a pena? Pois bem, nós, da Inteligência Financeira, fizemos um ranking com as melhoras contas digitais, considerando as opções com rendimento automático.

Qual banco rende mais?

ContaRendimento
99 PayAté 110% do CDI (em valores de até R$ 5 mil)
PicPay102% do CDI a partir do 30° dia
iti Itaú100% do CDI sem prazo mínimo
Mercado Pago100% do CDI sem prazo mínimo
PagBank100% do CDI a partir do 30° dia
Nubank100% do CDI a partir do 30° dia
Informações levantadas no dia 9 de maio de 2024

O que considerar antes de escolher

Além de entender qual é o banco que rende mais, é importante ler atentamente as regras para garantir essa rentabilidade. “Algumas instituições têm liquidez diária, mas o rendimento só fica completo na data do aniversário, como acontece na poupança. Tem instituição que aciona o rendimento somente após dois anos. Portanto, é bom verificar o contrato para saber exatamente como funciona a remuneração”, ressalta Felipe.

Aliás, outro ponto de atenção é o pagamento de Imposto de Renda e IOF sobre os rendimentos da aplicação, além da necessidade de declaração anual. “Vale ressaltar que as contas digitais não são consideradas investimentos, principalmente quando o dinheiro da aplicação estiver junto com outros valores usados no dia a dia. O dinheiro do investimento deve ter um propósito e uma separação por prazos”, destaca Felipe.