IVAR: entenda o que muda com o novo índice de aluguel

O indicador veio para preencher uma lacuna do mercado e pode substituir o IGP-M

IVAR: entenda o que muda com o novo índice de aluguel; isso interfere na rentabilidde dos FIIs?
– Ilustra: Renata Miwa/IF

Pontos-chave

  • O IVAR é calculado com base em dados coletados em quatro capitais: São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Belo Horizonte
  • Imobiliárias e proprietários podem decidir entre usar ou não o indicador

Neste mês, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) divulgou o primeiro resultado do Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR/FGV). O novo indicador foi criado com foco no mercado imobiliário e será divulgado mensalmente, integrando o calendário fixo de divulgação dos índices, indicadores e sondagens do FGV IBRE. 

O índice chega para preencher uma lacuna do mercado. “O IGP-M acabou sendo um índice adotado na maioria dos contratos de reajuste de aluguel residencial, mas ele não foi criado para isso. Nos últimos dois anos, ele teve um comportamento diferente do mercado imobiliário, registrando uma grande alta. Decidimos criar um índice que refletisse diretamente o que acontece nesse mercado”, explica Paulo Picchetti, coordenador do IPC Brasil do FGV IBRE.

Como o IVAR é calculado?

O indicador é calculado com base em dados coletados de contratos assinados por inquilinos e locatários de quatro capitais: São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. “Conseguimos uma parceria com um número grande de empresas, administradoras e imobiliárias, que compartilham esses dados. Acompanhamos cerca de 10 mil imóveis por mês”, explica Paulo. 

O novo índice deve refletir as variações ao longo do tempo. “Isso pode acontecer por vários fatores – seja porque o contrato será renovado ou até mesmo por mudanças inesperadas, como a pandemia. Tudo entra na base de cálculo. Usamos uma metodologia estatística para ter uma evolução média de valorização dos contratos”, ressalta Paulo. A primeira divulgação foi feita com base em uma série histórica de três anos. 

O que muda a partir de agora?

A adoção do índice não é obrigatória. Imobiliárias e proprietários podem decidir entre usar ou não o indicador para os contratos. “Não temos a intenção nem o poder de estabelecer que os contratos sigam um índice ou outro. O que acontece, a partir de agora, é que as pessoas têm liberdade para escolher o indexador. Se os participantes do mercado imobiliário entenderem que o IVAR reflete a oferta e demanda ao longo do tempo, podem substituir o índice. A experiência vai nos mostrar o que vai acontecer”, ressalta Paulo. 

E os FIIs?

Já nos Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs), segundo Alexandre Cruz, assessor da Quattro Investimentos, nada muda por enquanto. “Este índice deve ser fortemente utilizado, mas com foco em imóveis residenciais. Em relação aos fundos imobiliários, principalmente de tijolo, não acredito que haverá um impacto direto e funcional, já que a maioria dos portfólios contam com grandes imóveis e centros de distribuição. Devemos aguardar para entender se isso trará mudanças para grandes empreendimentos ou se o foco estará nos contratos de locação residencial”.


Você também pode gostar
Henrique Silva Publicado em 20.maio.2022 às 16h51
Dinheiro deve ser assunto logo no primeiro encontro?

Caso da jornalista que recebeu planilha de gastos do "date" tem muito a ensinar

4 min
JOTA Atualizado em 21.maio.2022 às 07h47
Análise: Como mitigar os efeitos da inflação no seu bolso?

Correção dos rendimentos pela inflação os leva à faixa superior da tabela progressiva do IR

5 min
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 09h28
Rio ou São Paulo: onde o aluguel é mais barato?

Se for para investir, cuidado. Até a poupança tem rentabilidade melhor do que a locação

3 min
Gustavo Zanfer Atualizado em 21.maio.2022 às 07h43
Como montar uma carteira de longo prazo?

É difícil, mas é importante ter uma estratégia financeira para daqui a alguns anos

7 min
Listas IF Atualizado em 18.maio.2022 às 17h29 Duração 1 min.
Pense bem antes de gastar no cartão de crédito

O que você pode fazer para gastar com sabedoria (e sem afobação)? Maju Marques dá quatro dicas para cuidar do seu dinheiro

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 16h08
Por dentro de uma reunião dos devedores anônimos

Irmandade ajuda as pessoas a se livrarem do vício das compras

5 min
Redação IF Atualizado em 15.maio.2022 às 09h01
Saque Extraordinário de R$ 1 mil do FGTS: nascidos em maio já podem sacar o dinheiro

Confira como fazer a consulta e saber se você tem direito a tirar até R$ 1 mil da conta do FGTS

5 min