Lira defende Refis na MP do Fies e não descarta ‘risco’ de aumento do Auxílio Brasil

Presidente da Câmara indicou que a proposta ainda depende de avaliação do Ministério da Economia

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou na terça-feira (19) que conversou com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), sobre incluir a possibilidade de adesão ao Refis (programa de refinanciamento de dívidas tributárias) na medida provisória (MP) 1090, que renegocia dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). “Seria a maneira mais adequada neste momento”, disse.

Segundo Lira, a negociação ainda não avançou porque ele e Pacheco ainda não conseguiram marcar reunião com o Ministério da Economia e com a Secretaria de Governo, o que deve ocorrer nos próximos dias. Esse diálogo com o governo é necessário, destacou, para saber “até onde vão os limites” do Refis e da transação tributária.

Ele também destacou que a MP que elevou o Auxílio Brasil para pelo menos R$ 400 será votada possivelmente na próxima semana, mas que ainda não definiu o relator. O debate se dará “em torno da polarização entre esquerda e direita” e admitiu risco de que o valor seja elevado, mas que acima de tudo “a gente tem que ter responsabilidade”.

“Risco sempre tem. Não fizemos reunião sobre isso, não discutimos ainda este assunto. É um valor que está sendo pago há três ou quatro meses e por certo vamos chegar um bom termo”, disse. Ele defendeu que houve alta “mundial” da inflação desde a aprovação dos valores, mas que o auxílio teve “aumento significativo” em relação ao Bolsa Família.

Lira ressaltou que o Congresso funcionará até 15 de julho com uma rotina “intensa” de votações e que discutirá também a desburocratização dos cartórios por meio da MP 1085 e do projeto de lei 4188/2021.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 20.maio.2022 às 08h18
Elon Musk se reúne nesta sexta-feira com Bolsonaro e empresários

Segundo ministro das Comunicações Fábio Faria, objetivo é discutir conectividade e proteção da Amazônia com o governo brasileiro

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 18h15
Trabalhador poderá usar até 50% do saldo do FGTS na privatização da Eletrobras

Valor mínimo do investimento é de R$ 200. Governo estabeleceu R$ 6 bilhões como teto global para uso do Fundo, o que pode reduzir percentual que cada trabalhador poderá investir

Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)