‘Criptomoeda não vale nada’, diz presidente do BCE, ao defender regulamentação

Christine Lagarde disse que as pessoas não entendem os riscos associados às moedas digitais e, por isso, 'perderão tudo'. Saiba por quê

Lagarde: "Minha avaliação muito humilde é que (criptomoeda) não vale nada, não se baseia em nada, não há nenhum ativo subjacente para atuar como âncora de segurança" — Foto: Michael Probst/AP
Lagarde: “Minha avaliação muito humilde é que (criptomoeda) não vale nada, não se baseia em nada, não há nenhum ativo subjacente para atuar como âncora de segurança” — Foto: Michael Probst/AP

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, reiterou suas preocupações com criptomoedas e o desejo de regulamentação. “Minha avaliação muito humilde é que não vale nada, não se baseia em nada, não há nenhum ativo subjacente para atuar como âncora de segurança”, disse Lagarde em entrevista à televisão holandesa, segundo relatos da mídia neste sábado (21).

A presidente do BCE disse que está particularmente preocupada com as pessoas que não entendem os riscos associados às moedas digitais voláteis e “perderão tudo”. “É por isso que acredito que isso deve ser regulamentado”.

Os comentários de Lagarde não são nenhuma surpresa. Ela há muito expressa seu desconforto com as criptomoedas, que explodiram em popularidade ao lado de um longo período de taxas de juros globais ultrabaixas que levaram os investidores à caça de rendimentos. O BCE levou as taxas de juros abaixo de zero em 2014; a principal taxa básica de juros do banco central agora está em 0,5% negativo. Fora da zona do euro, países como Suíça e Japão também têm taxas de juros negativas.

Nos EUA, o Federal Reserve elevou as taxas de zero em março e deve subir mais meio ponto percentual, para uma faixa de 1,25% a 1,5%, no próximo mês.

A mais recente crítica de criptomoedas do BCE corrobora as preocupações expressas pelos líderes dos EUA e ocorre em meio a um período doloroso para os investidores em criptomoedas. No início deste mês, a secretária do Tesouro e ex-presidente do Fed, Janet Yellen, pediu uma nova regulamentação federal sobre criptomoedas. “Nós realmente precisamos de uma estrutura regulatória para nos proteger contra os riscos”, disse Yellen, referindo-se ao tipo de criptomoedas que são chamadas de stablecoins, que são atreladas a uma moeda como o dólar.

A TerraUSD, uma das maiores stablecoins, caiu abaixo de US$ 1 e desencadeou o caos nos mercados de criptomoedas.

Desde sua alta de novembro, o bitcoin caiu cerca de 55%. Só no segundo trimestre, caiu mais de 20%. Enquanto isso, o ether recuou cerca de 60% de sua alta histórica. Seu cofundador, Vitalik Buterin, tuitou na sexta-feira que não é mais bilionário.

Lindsey Bell, estrategista-chefe de mercados da Ally Financial, disse que o mercado de criptomoedas sobreviveu ao seu primeiro teste real – pelo menos por enquanto. “Este foi o primeiro risco real de um evento que poderia ter causado contágio”, disse ela, mas “o mercado de criptomoedas conseguiu se estabilizar nos últimos dias”.

Isso não significa que as coisas necessariamente ficarão muito melhores – ou menos voláteis – em breve para os investidores em criptomoedas. As moedas digitais tornaram-se cada vez mais correlacionadas aos principais índices de ações, com dados da empresa de pesquisa de criptomoedas Arcane Research mostrando a correlação entre bitcoin e Nasdaq recentemente subindo para um recorde de 80%. A correlação do bitcoin com o S&P 500 é apenas um pouco menor.

As ações continuam sob pressão, já que os investidores antecipam no próximo mês novos aumentos nas taxas do Fed e o início do chamado aperto quantitativo, a reversão parcial da compra massiva de títulos nos últimos dois anos. O aperto da política monetária – mais agressivo do que o inicialmente esperado, já que a inflação está próxima da máxima de 40 anos – ocorre quando a economia dos EUA já mostra sinais de desaceleração. Os crescentes temores de recessão levaram o S&P 500 à beira de um “bear market”.

As criptomoedas também terão que lidar com os pedidos por regulamentação. Lindsey Bell disse que vê a crescente regulamentação como uma “característica chave no mundo das criptomoedas”, onde “os vencedores de hoje podem não ser os vencedores de amanhã”.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 18h11
NY: Bolsas fecham em alta e quebram sequencia de três semanas de perdas; Nasdaq acumula alta de 7,5%

Ainda que o medo por uma recessão continue presente, o temor vem sendo calibrado, com analistas enxergando exagero nas projeções

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 16h21
Americanos buscam ações defensivas com medo da recessão

Investidores monitoram o Fed, que quer derrotar a inflação a qualquer custo

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 14h46
Ataque hacker leva US$ 100 milhões em criptomoedas

Furto aconteceu na Horizon, ponte blockchain de finanças descentralizadas

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 12h57
Dólar apresenta volatilidade e bate R$ 5,27 na máxima

Moeda americana opera sem uma tendência definida

Redação IF Atualizado em 23.jun.2022 às 16h27
Carteira recomendada Itaú: sai Banco do Brasil entra Bradesco

Banco faz parte das recomendações de duas carteiras: Top 5 e a de Dividendos

Redação IF Publicado em 23.jun.2022 às 15h19
Seca de IPOs brasileiros traz 1º semestre mais fraco desde 2016

Nenhuma empresa brasileira abriu capital neste ano até dia 20 de junho, contra 29 transações que levantaram US$ 6,9 bilhões no mesmo período no ano passado

Redação IF Publicado em 23.jun.2022 às 14h53
Do Kwon, cofundador da plataforma de criptomoedas Terra, perdeu toda sua fortuna, diz WSJ

Do Kwon, cuja plataforma de criptomoedas ruiu deixando um prejuízo de US$ 40 bilhões, disse que perdeu quase toda a sua fortuna pessoal com o crise dos criptoativos

Redação IF Atualizado em 23.jun.2022 às 19h23
‘Timing’ para estreia na Nasdaq foi excelente, diz CEO do Inter; ações fecham em forte queda em NY

O primeiro dia foi negativo para os ativos, fechando com uma forte baixa de 12,56%, a US$ 3,48