10 ações americanas que pagam dividendos e que você precisa ficar de olho

Ações americanas que pagam dividendos: lista deixa de fora as gigantes de tecnologia; saiba por que e quais companhias são grandes pagadoras

Se a ideia é receber proventos em moeda forte, há ações norte-americanas que pagam dividendos de maneira consistente e podem ser boas opções.

Nesse sentido, os Estados Unidos possuem um grupo de companhias listas em bolsa que pagam dividendos ininterruptamente há 25 anos ou mais. Esse grupo é conhecido como Dividend Aristocrats (aristocratas dos dividendos).

Além disso, essas companhias do grupo aumentaram seus dividendos em cada um dos últimos 25 anos.

Por isso, se o interesse é receber proventos em dólar de maneira consistente, conheça algumas das ações norte-americanas que pagam dividendos.

Top 10 ações americanas que pagam dividendos

A lista a seguir foi constituída a partir do site oficial da Nasdaq, na sessão Dividend Aristocrats, com dados de 19 de fevereiro de 2024. Nesse sentido, o ranking contempla as 10 ações com os maiores dividend yield (relação preço da ação/proventos) entre empresas americanas que pagam dividendos crescentes, sem falhar, ao menos nos últimos 25 anos.

“Na amostra de empresas que compõem o maior mercado do mundo, observa-se que há várias americanas atuantes globalmente e conhecidas do público em geral, que tem recorrência e consistência na distribuição de seus resultados aos acionistas, por um período relativamente longo”, afirma Ricardo Martins, economista-chefe da Planner Investimentos.

Confira.

EmpresaTicker Dividend Yield
Leggett and PlattLEG9,3%
3MMMM6,6%
ATandtT6,5%
Realty IncomeO5,9%
AmcorAMCR5,5%
Franklin ResourcesBEN4,6%
Walgreens Boots AllianceWBA4,6%
T Rowe Price GroupTROW4,6%
Federal Realty Investiment TrustFRT4,3%
Chevron CVX4,2%

Como investir em ações americanas que pagam dividendos estando no Brasil?

Há basicamente duas maneiras de comprar ações americanas. Uma delas é via corretoras que operem nos Estados Unidos.

Outra maneira é comprando os Brazilian Depositary Receipt (BDR), um certificado emitido no Brasil que representam valores mobiliários de companhias no exterior. Saiba mais sobre essa opção aqui e como são tributados os BDRs e seus dividendos.

Vale a pena investir em ações estrangeiras que pagam dividendos?

Especialistas ouvidos pela Inteligência Financeira dizem que, sim, vale a pena investir em ações estrangeiras que pagam dividendos.

No caso dos EUA, mais especificamente, os benefícios envolvem um mercado mais maduro e consolidado. “Nesse sentido, muitas empresas pagam (dividendos) de forma ininterrupta por décadas”, ressalta William Castro Alves, economista-chefe da Avenue.  

O investidor consegue receber de forma recorrente, com estabilidade e previsilidade, “algo que no Brasil é raridade”, reforça Castro Alves. “E nos EUA, há empresas que pagam há 60 anos e vão aumentando dividendos por décadas”, acrescenta.

“A questão do tempo (de pagamento de dividendos) tem mais a ver com a capacidade de a empresa conseguir atravessar dificuldades como recessões, além de cenário diversos, com juros para cima e para baixo, e inflação, mantendo os pagamentos. Isso é um grande trunfo”, detalha o economista-chefe da Avenue.  

Onde estão as gigantes de tecnoloigia?

As grandes pagadoras são empresas que têm perfil de operação mais maduro. “Normalmente, não são de tecnologia ou de grande crescimento”, explica Castro Alves. Isso porque as Big Techs geralmente estão na fase de crescimento acelerado e, para tanto, dependem de reinvestir o dinheiro, o que acaba reduzindo os proventos.

“O investidor deve estar ciente que, normalmente, empresas que oferecem essa maturidade, estabilidade e previsibilidade já estão mais consolidadas. Assim, crescem menos, o que repercute no preço das ações”, detalha o economista-chefe da Avenue.

Como escolher a empresa?

Toda e qualquer decisão de investimento, e em qualquer mercado, deve estar precedida de avaliação criteriosa das peças contábeis da empresa, como parte de análise fundamentalista, e seu planejamento estratégico, condições econômicas e seus mercados de atuação, mesmo que a empresa esteja consolidada.

“Por se tratar de investimento visando pagamento de dividendos, seu histórico de distribuição ao acionista, assim como seu fluxo de caixa e endividamento são fundamentais para determinação da consistência da recorrência e definição da política de dividendos assumida. Deve-se observar sua saúde financeira associada à manutenção de payout e comparativamente seu dividend yield em relação ao mercado”, acrescenta Martins.

Cautela com o cálculo

Dito isso, o dividend yield é um dos indicadores a apontar boas pagadoras de dividendos, talvez o mais importante. Porém, esse indicador pode esconder grandes oscilações no preço das ações.

Vale destacar o caso da Leggett and Platt (LEG), por exemplo, que lidera, no grupo de “empresas aristocratas”, o ranking de ações que pagam dividendos quando o critério é DY.

Ao olhar apenas o DY não fica claro que quem comprou a ação em seu patamar mais alto pagou US$ 35 por um dividendo nominal anualizado de US$ 1,84. Enquanto quem comprou na baixa, conseguiu adquirir por apenas US$ 19 pelo mesmo dividendo nominal.

A diferença, no final, é importante. O yield de quem comprou na máxima pode cair pela metade, para perto de 5% contra os atuais 9,3%.

Ônus do investimento em ações estrangeiras que pagam dividendos

Nos Estados Unidos, os dividendos são tributados na fonte. Uma acionista que têm ações de empresas que paguem US$ 1 de dividendo, terá à disposição apenas 30 centavos de dólar. Ou seja, esse tipo de investimento inclui 30% de abatimento na fonte.  

Além disso, é preciso informar esse recebimento à Receita Federal no Brasil, ainda que não seja preciso pagar mais imposto.

Além, disso, no Brasil, as empresas são obrigadas a definir em seu estatuto social sua política de dividendos. Assim, geralmente, há um mínimo de 25% do lucro líquido ajustado.

Contudo, nos EUA, não há essa obrigação e as empresas reinvestem boa parte dos lucros porque esperam seguir crescendo. Geralmente, isso reduz o pagamento de dividendos.