Diminua suas despesas ou aumente suas receitas! Se der, concilie os dois

Quer começar a guardar mais dinheiro e colocar os investimentos como um objetivo? Sigam estas dicas

Estamos acostumados a ouvir de muitas pessoas que é difícil guardar dinheiro, pois não sobra no final do mês. “Tem muito mês nesse meu salário”, dizem. E quando isso acontece e seus recebimentos mensais não são capazes de cobrir os seus débitos, qual é a escapatória?

Financiar de alguma forma essa lacuna do seu orçamento mensal, seja com uso do limite do cheque especial, com parcelamento da fatura do cartão de crédito, ou, ainda, um novo empréstimo. E todas essas opções levam ao comprometimento de rendas futuras, com endividamentos, alongando ainda mais a possibilidade de um planejamento financeiro de longo prazo.

Entendemos que boa parte da população brasileira realmente vive dias de luta e poucos dias de glória, e o desafio diário para custear suas despesas, deixando o sonho de investir só como um sonho mesmo.
Mas vamos refletir: será que em um grupo de pessoas endividadas, não existe espaço e potencial financeiro de poupança real? Cada pessoa tem sua realidade, então reflita você, consigo mesmo, sobre a sua própria realidade financeira.

Na maioria das vezes, as pessoas não poupam porque privilegiam o presente e o prazer imediato sem pensar no futuro. Se você ficar esperando sobrar dinheiro para investir, sem pensar nos seus objetivos futuros, não vai sobrar. A questão aqui é sobre prioridades.

Sem perceber, a gente faz com que não sobre. Supérfluos sem importância surgem a todo momento, as ofertas são muitas por todos os lados, consumindo todas as nossas sobras, e se tornam gastos dentro de um orçamento que se torna quase sempre apertado.

Os seus sonhos e objetivos não podem fazer parte das sobras. Eles devem ganhar espaço de destaque no seu orçamento. Eu sei que nem sempre isso é fácil de executar, ainda que possa ser fácil falar. No dia a dia, as coisas não são tão simples como na teoria, mas é preciso fazer acontecer, é preciso se policiar e criar o hábito de buscar caminhos para economizar e, principalmente, entender que isso é importante e deve ser feito.

-E como fazer, ô gajo?

Já pensaram na possibilidade de ao receber o seu salário, se pagar primeiro? Como se fosse um pró-labore mesmo: um pró-labore do seu próprio pró-labore.

Comece tentando guardar 5% da sua receita líquida para os projetos futuros de vida e, ao atingir esse plano, quem sabe tentar ir aumentando esse nível de poupança até chegar a 20%? Que tal?
Lembre-se: um planejamento financeiro não está necessariamente ligado exclusivamente à aposentadoria, apesar de ser esse o motivo de maior relevância.

Mas está ligado principalmente a objetivos futuros de forma geral, como construir uma reserva de emergência, já que nunca sabemos os desafios que podemos enfrentar, entre outros projetos particulares que certamente surgirão, como: se planejar para aquela viagem tão sonhada, sair do aluguel, adquirir a casa própria ou custear a educação dos seus filhos. Estás a ver a importância?

E se você esquecer por onde começar, lembre-se que existem dois caminhos importantes para você iniciar pra já a se planejar para o amanhã: ou você diminui as suas despesas ou você aumenta a sua receita! Ou quem sabe os dois?

Por Marcelo Coelho, CFP®, especialista em investimentos no Itaú e colunista do íon (autor da coluna ‘Ora pois’). Artigo originalmente publicado no Feed de Notícias do íon Itaú. Para ler este e outros conteúdos, acesse ou baixe o app agora mesmo.