Aposentadoria aos 50 anos com R$ 10 mil por mês: como conquistar?

Veja simulações para aposentadoria aos 50 anos para quem tem 20, 30 e 40 anos

Conquistar a aposentadoria aos 50 anos e poder aproveitar mais tempo para descansar e curtir a vida é o sonho de muita gente. Com a reforma da Previdência, o caminho da aposentadoria pública ficou mais demorado. Portanto, investir se tornou o caminho principal para quem busca pendurar as chuteiras cedo.

Mas quando começar a se preparar? “O momento ideal para começar a planejar sua aposentadoria é ontem”, afirma o administrador Fernando Lamounier, especialista em educação financeira e diretor da Multimarcas Consórcios.

Se você chegou a esta matéria, contudo, é porque você não deve ter começado ontem. Então, Lamounier brinca que, para sua tranquilidade, “o segundo melhor momento é hoje”. A preocupação com a antecedência se deve à lógica dos juros compostos. Quanto antes e por mais tempo você investir, melhor.

“Uma vez que a magia dos juros compostos significa que quanto mais tempo ela tiver para juntar o dinheiro, menos aportes são necessários e um menor valor por mês ela precisa aportar”, completa o especialista.

Mas onde investir e quanto é necessário aportar para parar de trabalhar com uma boa renda? E mesmo que seja mais difícil, o que diz a lei? ainda é possível se aposentar aos 50 anos pelo INSS? Isso é o que vamos responder com a ajuda de especialistas.

Garanta seu futuro com nosso Guia Completo sobre Previdência Privada! Aprenda a escolher o melhor plano para não depender do INSS, diversificar investimentos e até se aposentar no exterior. Inscreva-se AGORA para acessar vídeos explicativos e um E-book detalhado. Não deixe para depois, prepare-se para uma aposentadoria tranquila. Clique aqui e comece já!

Como investir para conquistar a aposentadoria aos 50 anos?

Para Fernando Lamounier, não há receita de bolo, mas há alguns produtos a serem priorizados nessa escolha. O especialista cita os títulos públicos, especialmente os atrelados ao IPCA, que protegem contra a variação da inflação ao longo do tempo. Ele afirma que quando o assunto é aposentadoria, a prioridade é garantir o menor risco, mesmo ao custo de um retorno um pouco menor.

“O importante é optar pelo conservadorismo, em primeiro lugar, e usar os títulos públicos que são notoriamente os mais seguros. Esta renda é para ela se aposentar, não para ficar rica, mas para ter mais conforto durante o tempo que usufruirá a verba da contribuição”, explica.

Quanto investir?

O especialista fez duas simulações de investidores buscando aposentadoria aos 50 anos, ambas considerando um investimento conservador, com rentabilidade de 0,50% ao mês.

Na primeira, uma pessoa de 30 anos. Contudo, na segunda, escolhendo um investidor de 20 anos, com mais tempo para efeito dos juros compostos.

Pela projeção, o investidor de 30 anos precisaria investir cerca de R$ 3.036,78 por mês para alcançar o sonho da aposentadoria aos 50 anos. Por outro lado, a pessoa de 20 anos poderia dispor de menos, cerca de R$ 1.388,96, para alcançar o mesmo objetivo.

Tesouro RendA+

Além do Tesouro IPCA+, o especialista lista como opções os títulos do Tesouro Selic e a previdência privada. Fernando Lamounier também menciona o Tesouro RendA+, criado pelo governo para ser um complemento de aposentadoria, devolvendo o valor investido corrigido a uma taxa IPCA+ ao longo de 20 anos.

Para quem tem um pouco mais de idade, na faixa dos 40 anos, fizemos uma simulação com outros critérios, no sistema do Tesouro RendA+. Pela projeção, seria necessário investir cerca de R$ 5.775,75 no Tesouro RendA+ 2035 para receber uma aposentadoria de R$ 10 mil ao longo de 20 anos.

O prazo dos pagamentos do RendA+, contudo, é um ponto importante. O programa faz os pagamentos por 240 meses após o vencimento do título. Ou seja, passados 20 anos da aposentadoria os pagamentos seriam interrompidos e o investidor precisaria recorrer a outras fontes de recurso.

É possível se aposentar aos 50 anos pela lei?

Possível até é, mas são situações raras e que se tornaram ainda mais improváveis após a reforma da Previdência, que entrou em vigor em 13 de novembro de 2019. Com a mudança na lei, deixou de existir a chamada aposentadoria por tempo de contribuição.

A reforma, contudo, previu uma regra de transição e algumas exceções, que justificam as raras possibilidades de aposentadoria aos 50 anos. É o que explica a advogada Lara Fernanda de Oliveira Prado, sócia da área cível e trabalhista do escritório Diamantino Advogados Associados.

“Embora muito raro e dificil, é possível se aposentar aos 50 anos após a reforma da Previdência em algumas situações específicas”, diz Lara, que cita as seguintes possibilidades:

  • Direito adquirido. Quem já tinha obtido o tempo mínimo de contribuição na data da promulgação da reforma, em 2019. São situações improváveis, como a de uma mulher que começou a contribuir aos 15 anos e, cinco anos atrás, já tinha contribuído por 30 anos. Ou de um homem que começou a contribuir aos 10 anos e tinha feito repasses ao INSS por 35 anos até 2019.
  • Regra de transição (pedágio de 50%): Pessoas que, na data da reforma, tinham menos de 2 anos a contribuir para se aposentar. Mulheres com 28 anos e 1 dia ou mais e homens a partir de 33 anos e 1 dia de contribuição.
  • Aposentadoria especial (exceções da reforma): A lei aprovada pelo Congresso previu exceções para pessoas que atuam em profissões perigosas ou insalubres e estão sujeitas às regras próprias das categorias.
  • Aposentadoria por invalidez: Profissionais que são considerados, por uma perícia médica, como inaptos ao trabalho podem ser aposentados por invalidez aos 50 anos ou antes.

Leia a seguir

Leia a seguir