Ultrapar (UGPA3): Citi corta recomendação de compra para neutra

Banco também reduziu preço-alvo para ações da companhia de R$ 19,50 para R$ 19

O Citi rebaixou sua recomendação para as ações da Ultrapar (UGPA3) de compra para neutra e seu preço-alvo de R$ 19,50 para R$ 19, potencial de alta de 8,4% ante o fechamento de sexta-feira, afirmando que o cenário melhorou, mas não há catalisadores no curto prazo.

Os analistas Gabriel Barra, Andrés Cardona e Joaquim Atie escrevem que a Ultrapar teve bons resultados desde a mudança da administração em 2022, com a reviravolta na Ipiranga e as melhores margens na Ultragaz, e que está bem preparada para um ambiente de altas taxas de juros, com alavancagem sob controle e portfólio de negócios coeso.

No entanto, os níveis de preços atuais representam a maior parte do risco de alta da empresa, dizem.

“Uma margem melhor na Ipiranga, por exemplo, poderia mudar a percepção das margens, mas não vemos gatilhos de curto prazo que possam sustentar um cenário melhor do que o esperado daqui para frente.”

Os analistas escrevem que isso vale também para a Ultragaz, que em um mercado amadurecido não deve continuar mantendo o mesmo ritmo de crescimento de margem. Assim, há pouco espaço para novas revisões de alta neste momento, dizem eles.

Com relação à Ipiranga, os analistas escrevem que a maior parte dos temores em relação à concorrência do diesel russo já se foi e a mudança na política de preços de combustíveis da Petrobras pode mudar o cenário da competição na distribuição de combustíveis no médio prazo.

No entanto, o segundo trimestre deve ser impactado pela queda nos preços dos combustíveis.

Já em Ultragaz, os volumes de gás liquefeito de petróleo (GLP) no Brasil vêm apresentando um pequeno crescimento desde 2015, impulsionado principalmente pelo segmento de granéis, dizem.

Eles ressaltam que o setor manteve-se praticamente estável nos últimos sete anos, e assim não deve haver um crescimento relevante no médio e longo prazo.